'O Brasil elegeu um palhaço'

Tiririca é notícia em canais europeus, em agências como Dow Jones, BBC e CBS e em jornais americanos e sul-africanos; outro destaque foi Romário

Jamil Chade CORRESPONDENTE GENEBRA, O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2010 | 00h00

O Brasil elegeu um palhaço para seu Congresso. Assim o canal Euronews e vários outros meios de comunicação no exterior explicaram os mais de 1,3 milhão de votos recebidos por Tiririca nas eleições para deputado federal. A vitória foi noticiada em agências como Dow Jones, BBC e CBS, além de nos jornais sul-africanos e na Rádio Pública Nacional, dos Estados Unidos.

Vários veículos também mencionaram as suspeitas de analfabetismo de Tiririca, traduzido em inglês para grumpy.

O canal Euronews, visto em toda a Europa, em diversas línguas, foi o mais enfático. "Eleitores do mundo todo se queixam de ter palhaços como políticos. Mas os brasileiros abraçaram a ideia, enviando um palhaço de verdade ao Congresso, com mais votos que qualquer outro."

Para a CBS, o Brasil elegeu um "palhaço não-metafórico", Francisco Everardo Oliveira Silva. O jornal The Star, da África do Sul, mencionou que os brasileiros foram às urnas para escolher "governadores, senadores e um palhaço". Segundo a publicação, a campanha de Tiririca chamou a atenção de eleitores decepcionados com a política.

O Blogpost, do americano Washington Post, afirmou que Tiririca fez a melhor propaganda do ano. E traduziu para o inglês os principais bordões do palhaço-candidato.

Parte da imprensa, porém, ressaltou que a candidatura não foi um "ato inocente". Para as agências de notícia, Tiririca recebeu financiamento para a campanha, porque seus votos ajudariam a eleger outros políticos da coalizão, como o próprio PT.

Agências, jornais e redes de TV também deram destaque ao segundo turno e ao resultado surpreendente de Marina Silva. Na Bulgária, país de origem do pai de Dilma Rousseff, a eleição figurou na capa dos principais jornais e programas. "Passaremos mais um mês acompanhando de perto o que ocorrerá no Brasil", disse Svetoslav Ivanov, da BTV, a maior rede de TV do país.

Em Sofia, a eleição no Brasil recebeu mais atenção que a da vizinha Bósnia, também no fim de semana. Os búlgaros insistem no passado de "guerrilheira marxista" de Dilma. No gabinete da presidência e na prefeitura de Gabrovo, onde nasceu o pai de Dilma, as cartas de vitória já estão prontas. Mas o envio foi suspenso.

Teve destaque, ainda, a eleição de Romário para deputado estadual. Mas para o gratuito londrino Metro, quem por enquanto vai continuar "rindo no Congresso" é Tiririca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.