Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Obama vai falar a ''todos os brasileiros''

Consulado americano confirma discurso do presidente americano na Cinelândia, praça no centro do Rio célebre por atos políticos

Wilson Tosta / RIO, O Estado de S.Paulo

15 Março 2011 | 00h00

Em seu pronunciamento dirigido a "todos os brasileiros", o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, discursará no domingo para uma Cinelândia isolada por fortes medidas de segurança - bem diferente da tradição do local, principal palco de manifestações políticas na cidade.

A embaixada americana confirmou que o pronunciamento ocorrerá na praça, à qual só terá acesso quem carregar nada além de documento de identidade e carteira de dinheiro. Bolsas, sacolas e pacotes estão vetados. A restrição é parte das providências para proteger o visitante - que incluirão mudanças no trânsito e forte policiamento. Ontem, no fim da manhã, houve nova visita ao Teatro Municipal para checagem de segurança.

"O evento, que acontecerá no período da tarde, será gratuito, aberto ao público e é direcionado a todos os brasileiros. Haverá tradução. Mais informações serão divulgadas em breve", afirmou em nota o Consulado dos EUA. O discurso deve começar às 15h, mas o acesso do público à Praça Floriano - nome oficial da Cinelândia - será permitido a partir das 11h30.

O presidente americano deve discursar em uma sacada do teatro, mas sua exata posição ainda não foi divulgada. Antes, ele visita o Corcovado às 9h30, seguindo de lá para a Cidade de Deus, na zona oeste. Obama chegará ao Rio na noite de sábado e passará duas noites na cidade antes de viajar para o Chile.

Segurança. As medidas de segurança se estenderão aos outros pontos do programa. A ida do casal presidencial americano ao Corcovado é vista como programa "familiar" e deve ter acesso restrito até para a imprensa.

Em todos os eventos, a segurança do presidente será feita por agentes americanos, mas o Batalhão de Operações Especiais e o Batalhão de Polícia de Choque ficarão responsáveis pelo entorno dos locais visitados.

Detalhes da programação de Obama foram discutidos ontem pelo embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, com o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) e o prefeito Eduardo Paes (PMDB), no Palácio Guanabara. Após o encontro, o governo e a prefeitura divulgaram notas oficiais praticamente idênticas à da embaixada, confirmando o discurso na Cinelândia.

Chuva e helicóptero. Um dos problemas enfrentados pela equipe que prepara a vinda de Obama é o tempo - uma chuva forte poderia esvaziar a praça. Outro problema é o helicóptero presidencial. A aeronave, por ser muito grande, não pode pousar no campo da Coordenadoria Adjunta de Operações Aéreas, na Lagoa Rodrigo de Freitas, principal heliponto da zona sul.

A alternativa será o campo do Flamengo. Em sua visita à Cidade de Deus, o aparelho deverá utilizar o Aeroporto de Jacarepaguá ou o autódromo, de onde Obama se deslocará até a favela em carro blindado, trazido dos Estados Unidos.

Apesar de ainda ter tráfico ativo, a Cidade de Deus atraiu a atenção da segurança presidencial por ser plana e ter ruas um pouco mais largas, características que facilitam as manobras de veículos, diferentemente de favelas na zona sul da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.