Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Operação das Forças de Segurança autua 11 pessoas, apreende armas e veículos no Rio

Com apoio das Forças Armadas, houve bloqueio nas divisas do Estado e nos acessos a algumas comunidades da zona norte

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2018 | 05h22

SÃO PAULO - As operações realizadas pelas polícias Civil e Militar do Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira, 20, com apoio das Forças Armadas, resultou na autuação de, pelo menos, 11 pessoas, todas maiores de idade. As equipes também apreenderam armas e automóveis.

+ Câmara aprova decreto de intervenção federal na segurança do Rio

A ação integrada também contou com a participação das Polícias Rodoviárias Federal e Estadual e com a Força Nacional, da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

Os agentes bloquearam os acessos às principais rodovias federais nas divisas com São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo e fizeram patrulhamento ao longo do Arco Metropolitano. Os acessos às comunidades do Salgueiro e Jardim Catarina, em São Gonçalo, e Chapadão-Pedreira, na zona norte, também foram bloqueados.

+ Intervenção federal gera temor em moradores de favelas do Rio

A ação tinha como objetivo o cerco, desobstrução de vias e ações de estabilização para cumprimento de mandados nas comunidades Kelson's, Cidade Alta, Pica- Pau, Cinco Bocas e Tinta, na zona norte do Estado.

Além das 11 pessoas autuadas em flagrante ou por cumprimento de mandados, os policiais apreenderam cinco pistolas e um revólver, dois simulacros de pistola, seis granadas, seis carregadores de pistola e 11 rádios transmissores. Entre os veículos, foram apreendidos um caminhão, dois carros, quatro motos, várias peças de carros e grande quantidade de drogas e munições.

+ Exército pede uso de mandado coletivo; especialistas e população temem abusos

Segundo a Secretaria de Estado de Segurança (Seseg), essa foi a maior operação realizada até o momento, por conta da abrangência, e visou reduzir os índices de roubos de cargas e impedir a entrada de armas e drogas no Estado.

A operação integrada segue o contexto do Decreto Presidencial de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para ações em apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública, assinado em 28 de julho de 2017, não estando vinculada à intervenção federal decretada na última sexta-feira, 16.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.