1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Operação em favelas do Rio acaba com 4 mortos e 7 presos

Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo

28 Maio 2014 | 21h 15

Cerca de 30 policiais participaram da ação de combate ao tráfico de drogas; um dos mortos era considerado o chefe do tráfico

RIO - Quatro pessoas morreram e sete foram presas durante operação da Polícia Civil nas favelas do Rola e de Antares, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio, nesta terça-feira. Cerca de 30 policiais participaram da ação de combate ao tráfico de drogas. Um dos mortos, David Araújo de Souza, o DVD, de 24 anos, era considerado pela polícia o chefe do tráfico na favela do Rola.

Um fuzil 7.62, três pistolas, três rádios transmissores, R$ 764 em espécie, munição e drogas foram apreendidos.

Após a operação houve um protesto de moradores. Dois ônibus foram incendiados e uma estação do BRT Transoeste (corredor exclusivo para ônibus) foi depredada. Na tarde desta terça, o serviço de transportes foi suspenso.

Outro caso. Na noite de terça, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, um homem morreu e outros dois ficaram feridos durante um protesto promovido por moradores contra a prisão de Romário de Morais da Silva, que, de acordo com a polícia, era foragido da Justiça.

Os manifestantes atearam fogo a um ônibus e houve tiroteio. O mototaxista Caio da Silva, de 20 anos, foi baleado no peito e chegou a ser levado à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Alemão, mas morreu.

Fausto Sobral, de 56 anos, foi ferido na perna e um policial, atingido na mão por estilhaços.

O protesto começou em frente ao quartel da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), na Avenida Itaoca. Os manifestantes chegaram a fechar a Avenida Itararé por alguns minutos. Em nota, o CPP afirmou que os policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão que acompanhavam o protesto foram alvo de tiros vindos de dentro de uma das favelas.

Além dos policiais da UPP do Alemão, agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Policiamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs patrulham o conjunto de favelas.