Operação encontra cantina que vendia drogas no interior de presídio em MS

Diretores presos recebiam favores e dinheiro para facilitar a entrada de drogas, armas e objetos ilícitos, como carregadores e celulares, nas unidades

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

23 Janeiro 2017 | 22h29

SOROCABA - A operação do Ministério Público de Mato Grosso do Sul em dois presídios de Corumbá, nesta segunda-feira, 23, encontrou uma cantina que vendia drogas no interior da penitenciária. A operação, apoiada pela Polícia Militar, apreendeu maconha, cocaína e R$ 17 mil no local. 

O diretor do presídio, Ricardo Wagner Lima do Nascimento, foi preso, assim como o diretor da unidade do semiaberto do complexo prisional, Douglas Novaes Lima. O prazo da prisão temporária é de 30 dias, mas pode ser pedida a prisão preventiva dos suspeitos.

De acordo com a promotora Cristiane Mourão Leal, do Gaeco, que coordenou a operação, os dois dirigentes manter relação promíscua com integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Eles receberiam favores e dinheiro para facilitar a entrada de drogas, armas e objetos ilícitos, como carregadores e celulares, nas unidades. 

Dois comerciantes davam suporte aos detentos do lado de fora dos presídios. Os diretores fizeram carreira como agentes penitenciários e, em 2015, assumiram os postos atuais.

 

Mais conteúdo sobre:
Polícia Militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.