1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Oscar Freire atrai lojas-conceito

Valéria França - O Estadao de S.Paulo

12 Setembro 2009 | 00h 00

Ponto de compra mais sofisticado da cidade agora é disputado por grifes que abrem megaespaços

Mais do que um local badalado de compras, a Rua Oscar Freire virou um disputado ponto de megalojas construídas para oferecer uma experiência da marca ao consumidor. Trata-se da chamada loja-conceito, feita para mostrar todo o potencial da grife. Nesse estilo, surgiram ali, na última quinzena de agosto, um salão de beleza da Seda, uma megaloja de sapatos da Schutz e uma outra de street wear da Cavalera. Até o final de outubro, a Oscar Freire sediará a primeira loja conceito da Omoze, grife paranaense de jeans. "Independentemente de ser o melhor ponto de vendas, a rua é a grande vitrine do País, o endereço do consumo aspiracional", diz Carlos Ferreirinha, presidente da MCF, consultoria de marcas de luxo.

Durante seis anos, a unidade da Cavalera, nos Jardins, ficou na esquina da Alameda Lorena com a Rua Haddock Lobo, um ponto nobre que já sediou uma grife de roupa masculina de sucesso nos anos 80, a Mr. Wonderful. No início do mês, ela mudou para a Rua Oscar Freire, em um espaço quatro vezes maior, de 700 m². No ponto antigo, Alberto Hiar, o Turco Loco, um dos sócios da marca, deixou expresso numa das vitrines seu amor pela rua, comunicando também o novo endereço. "Precisava de um espaço maior e num lugar diferenciado", diz Hiar. "A Rua Oscar Freire é um dos endereços mais importantes de compra da América Latina. Tenho uma marca jovem."

Para montar sua loja, Hiar inspirou-se na casa de um roqueiro. "Pensei na de Keith Richards, onde ele recebe os amigos descolados de suas filhas modelos, Theodora e Alexandra Richards." No meio do salão, entre tantos elementos arrojados, está exposta a bateria de Igor Cavalera, ex-membro da banda brasileira de metal Sepultura, e a armadura de um samurai do século 5. O tom de modernidade fica por conta da obra do grafiteiro Onesto, colocada no teto. Abaixo do quadro, uma mesa de jantar estilo Luís XV. Ali, Hiar juntou suas duas grifes, a Cavalera e a V.Rom. E aproveitou para lançar roupas para cachorro.

TEMPORÁRIAS

Nem todas as lojas abriram para ficar. A grife de Alexandre Birman, a Schutz, inaugurou na última quinzena de agosto uma espécie de loja-teste. A ideia é descobrir exatamente o ambiente de compras que mais atrai o cliente e, a partir daí, em março, fechar para reforma. As vendedoras que ficam no térreo, onde estão expostos os sapatos e acessórios destinados ao varejo, estão orientadas a detectar ainda as ressalvas dos compradores em relação ao produto. Podem ser observações em relação ao preço, ao formato e até à qualidade feitas durante o atendimento, com a intenção de aperfeiçoar o produto. No primeiro andar da loja funcionam o escritório, o marketing e o showroom - que conta com um serviço especial, um concierge, para providenciar hospedagem e passagem de grandes compradores provenientes de outras cidades.

O Seda Urban Salon também está de passagem pela Oscar Freire. Num espaço de 120 m², 24 cabeleireiros ficam a postos para cuidar gratuitamente do cabelo dos frequentadores da região até 18 de outubro, de segunda a segunda. Na porta só é preciso apresentar um convite, distribuído aos consumidores de lojas vizinhas como o Espaço Havaianas, a Nike Store, Dior e Spezzato, entre outras.

O salão só faz o tratamento dos cabelos com os novos produtos da marca, que ainda não estão à venda, desenvolvidos em parceria com especialistas internacionais. É o caso de Yuko Yamashita, criadora do sistema de alisamento saudável, e de Thomas Taw, dono do BobSoho, salão-butique londrino que trabalha com a reconstrução de fios. "A Seda Urban foi criada para proporcionar a experiência da marca. O público desta região, apesar de não ser o consumidor direto do produto, é formador de opinião", diz Erik Galardi, diretor de Marketing da Unilever, fabricante da linha Seda. "Este é o tipo de loja chamada " pop up", feita para durar período curto", diz Ferreirinha. "Ela não vende o produto, mas alavanca as vendas."

A poucos metros da loja da Seda foi criado um local que segue os mesmos padrões, a Smart Urban Stage, da Mercedes-Benz. Com duas entradas, Rua Oscar Freire, 974, ou Rua da Consolação, 3447, funcionou por uma semana como um espaço de arte, cultura, música e compras. O evento contou com DJ residente todos os dias e artistas de street art, a maioria internacional. O espaço fechou na quarta-feira, mas os organizadores continuam promovendo interferências na cidade, como o grafite no Parque do Povo, feito pelos espanhóis Nuria e El Tono.

  • Tags: