1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Pai viu filho morrer ao atravessar passarela no Rio

O Estado de S. Paulo

28 Janeiro 2014 | 20h 44

'Toda manhã, Cirilo ficava olhando pela janela de casa o filho atravessar a passarela para pegar o ônibus'

Atualizada às 23h08

RIO - O pai de Adriano Pontes de Oliveira flagrou o momento em que o filho caiu da passarela logo após a caçamba de um caminhão se chocar contra a estrutura na manhã desta terça-feira, 28. Adriano, de 26 anos, morava com a família na comunidade Águias de Ouro e pegava o ônibus do outro lado da passarela, na favela da Guarda, para ir trabalhar em uma agência do Bradesco em São Cristóvão, na zona norte do Rio.

"Toda manhã o Cirilo, pai do Adriano, ficava olhando pela janela de casa o filho atravessar a passarela para pegar o ônibus, do outro lado. Cirilo viu o acidente, viu o filho cair no córrego e saiu correndo desesperado, mas não pôde fazer nada", conta Luzia Soares de Oliveira, tia de Adriano.

O pai ficou muito abalado, passou mal e chegou a ser levado para um hospital. Ainda segundo ela, outros familiares, além de Adriano, tinham passado pela passarela, mas o rapaz passou por último porque pegava serviço mais tarde.

Mortos. Além de Adriano Pontes de Oliveira, de 26 anos, o acidente matou outras três pessoas. Célia Maria, de 64 anos, também estava andando pela passarela. Ela morava em uma comunidade próxima. Segundo Lima, a mulher morreu ao cair na pista. Já Renato Pereira Soares Júnior estava dirigindo o Palio prata que foi completamente esmagado pela estrutura. O quarto morto foi identificado como Alexandre de Almeida.