Palocci voltará ao governo se Dilma vencer, diz Jaques Wagner

Governador eleito da Bahia acha que o ex-ministro e outros envolvidos no mensalão já pagaram 'preço alto'

Adriana Carranca, O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2010 | 00h00

O governador reeleito da Bahia, Jaques Wagner, um dos principais conselheiros de campanha da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, acredita que, se ela for eleita, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci pode voltar a ter papel importante no governo.

"O Palocci é uma boa aposta, uma pessoa que se credenciou, teve os problemas dele, o que atrapalhou o roteiro que ele estava escrevendo para si próprio, mas vi que ele se aproximou bastante e é um grande quadro político e de gestão", disse Wagner. "É provável que ele tenha um papel importante (num eventual governo Dilma), que passa pela articulação."

Jaques Wagner foi entrevistado ontem no programa Roda Viva, da TV Cultura de São Paulo.

Lula. O governador reeleito também falou sobre a possibilidade da volta do presidente Lula à disputa pela Presidência em 2014. "Se Dilma fizer um bom mandato, que eu acredito que fará, ela tentará a reeleição. Se não fizer, é quase uma chamada natural que o presidente Lula volte."

Sobre corrupção, Jaques Wagner admitiu, ainda, a volta de outros personagens do primeiro mandato de Lula, como o ex-deputado José Dirceu e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, afastados após o escândalo do mensalão. Para Wagner, os dois principais envolvidos no maior escândalo do governo Lula pagaram um preço alto e poderiam voltar ao partido. "Acho que as pessoas erram, e não devem ser assassinadas por isso. Se entenderem que erraram, podem voltar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.