Pane no Cindacta de Manaus atrasa vôos em várias cidades

Congonhas tem 11 partidas atrasadas em mais de 1 hora; Cumbica tem 48 e Tom Jobim, 37

Rodrigo Rodrigues, da Rádio Eldorado, e Tiago Décimo, da Agência Estado,

21 Julho 2007 | 14h04

A pane ocorrida no centro de controle de vôos de Manaus (Cindacta-4), na madrugada deste sábado, 21, refletiu em alguns aeroportos do País, inclusive na região Sudeste. Às 23h45 de sexta-feira, os monitores que controlam o tráfego de aviões no Amazonas apagaram, por falta de energia.   Veja também: Apagão no Cindacta-4 adia enterro de vítima do vôo 3054 Gol atribui atraso de vôos no RJ à pane de radar na Amazônia Pane em radar foi 'desesperadora', diz controlador de vôo Falha de radar na Amazônia interrompe 11 vôos internacionais Congonhas tem 11 vôos cancelados e Cumbica, 33 atrasados   Segundo informações extra-oficiais, os três geradores de energia do centro de controle não funcionaram. "Os aviões foram obrigados a ficar taxiando sobre os céus de Manaus, às cegas", contou um controlador de vôo.   Na região metropolitana de SP, um levantamento realizado até às 11 horas nos aeroportos de Congonhas e Cumbica mostrou que em Congonhas há 11 vôos com mais de 1 hora de atraso; já Cumbica tem 48 vôos na mesma situação. Dos 127 vôos programados para o Aeroporto Internacional de Guarulhos, 3 foram cancelados; e em Congonhas, dos 75 vôos programados desde às 6 horas, 17 foram cancelados.   Além disso, 11 vôos internacionais foram obrigados a retornar à origem em decorrência do problema em Manaus. Quatro aeronaves da American Airlines que vinham de Miami para Congonhas foram remanejadas de volta para os EUA. Outros sete vôos de Guarulhos para o exterior atrasaram.   No Aeroporto Internacional de Salvador, na Bahia, um dos mais movimentados do Nordeste, durante a manhã foi tranqüilo, apesar dos atrasos de uma hora ou mais registrados em sete chegadas e oito partidas. Segundo a Infraero, o saguão do aeroporto ficou cheio de passageiros, mas as filas de check-in foram consideradas normais e não foram registrados tumultos.   Nos casos mais graves, os passageiros do vôo da Gol para Manaus, que tinha previsão de saída às 7h10, tiveram de esperar quase quatro horas para decolar e os que tinham passagem para Guarulhos, no vôo da Gol marcado para as 9h30, continuavam esperando o embarque no fim da manhã - a previsão de partida havia passado para as 13h20.   No Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim, no Rio, até às 13 horas havia pelo menos 37 vôos atrasados em mais de uma hora e 14 cancelados. A explicação também é o apagão causado no Cindacta-4.   Tranqüilidade em Campinas   O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, recebeu apenas dois vôos alternados que deveriam pousar em São Paulo entre a madrugada e a manhã deste sábado, 21, e foram desviados para a cidade a 90 quilômetros da capital. Segundo informou a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), 39 passageiros foram levados para São Paulo em traslados providenciados pelas companhias aéreas.   O clima no aeroporto é de tranqüilidade e o movimento, bem menor que o da última sexta-feira, quando Viracopos recebeu 20 vôos alternados até as 22h45, e um total de 539 passageiros. Segundo informou a Infraero, por meio de assessoria de imprensa, não houve interrupção nas operações do aeroporto nem neste sábado nem na sexta-feira.   O aeroporto em Campinas foi oficialmente cogitado como alternativa para o tráfego aéreo de Congonhas e Cumbica, em São Paulo, na sexta-feira, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Extra-oficialmente, Viracopos já tem funcionado com alternativa há alguns anos. Somente entre maio e julho, o aeroporto recebeu ao menos 1.500 passageiros que tiveram vôos transferidos de Congonhas e Guarulhos.   Nos últimos dois meses, o aeroporto no interior de São Paulo também chegou a ser cogitado como alternativa pela diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Denise Abreu, e pelo presidente da TAM Linhas Aéreas, Marco Antonio Bologna. Entre as 19h35 de terça-feira, dia do acidente com o Airbus da TAM, e a noite de quinta-feira, houve 15 vôos alternados e um total de 1.126 passageiros.

Mais conteúdo sobre:
atrasos Cindacta-4

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.