Divulgação
Divulgação

Papa autoriza canonização de Madre Teresa de Calcutá

Francisco reconheceu 'cura extraordinária' de brasileiro, em 2008, que se encontrava em fase terminal por graves problemas cerebrais

O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2015 | 07h40

CIDADE DO VATICANO - O papa Francisco assinou o decreto para o canonização da Madre Teresa de Calcutá, que acontecerá provavelmente em 4 de setembro de 2016, informou nesta sexta-feira, 18, o Vaticano.

Francisco assinou nesta quinta-feira, 17, pela tarde o decreto que reconhece a "cura extraordinária" de um brasileiro, em 2008, que se encontrava em fase terminal por graves problemas cerebrais, após a intervenção divina da fundadora da Congregação das Missionárias das Caridade.

O "milagre" ocorreu quando o doente, em coma, seria operado, mas por causa de problemas técnicos a intervenção cirúrgica teve de ser adiada por meia hora.

Ao voltar à sala de operações, segundo o jornal católico Avvenire, o médico encontrou o doente sentado, desperto, perfeitamente consciente e perguntando o que fazia ali.

O médico explicou, durante a fase de estudo do suposto milagre, que “nunca viu um caso como esse” e que todos os doentes com os mesmos problemas, que passaram por ele em 17 anos de profissão, tinham morrido.

As análises sucessivas do caso revelaram a cura da patologia cerebral em curto espaço de tempo e sem sequelas, o que levou o brasileiro a retomar sua vida.

As provas obtidas durante o processo de estudo do caso mostram que as pessoas próximas do doente - de quem a esposa era devota - rezaram muito a Madre Teresa.

A Ordem das Missionárias da Caridade celebrou nesta sexta-feira, em Calcutá, o anúncio da canonização. "Estamos muito felizes e agradecidas. Soubemos da notícia esta manhã", disse a porta-voz da congregação em Calcutá, irmã Christie.

Inês Gonxha Bojaxhiu, nome de Madre Teresa, nasceu em 26 de agosto de 1910 em Skopje, capital da atual república da Macedônia, na comunidade albanesa. Ela foi beatificada em 2003, depois de o Vaticano ter reconhecido como um milagre a cura de um tumor no abdome de uma mulher indiana.

Durante meio século, Madre Teresa desenvolveu um trabalho social em Calcutá com as Missionárias da Caridade. Em 1979, foi recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

As Missionárias da Paz contam hoje com cerca de 4.500 religiosas, que trabalham em mais de 130 países na assistência aos pobres e doentes.

Teresa de Calcutá morreu em 5 de setembro de 1997, aos 87 anos, na sede da congregação, onde morava. /AGÊNCIA LUSA e EFE

Mais conteúdo sobre:
Vaticano Macedônia Teresa de Calcutá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.