L'Osservatore Romano/AP
L'Osservatore Romano/AP

Papa confirma que pastorinhos de Fátima serão canonizados no dia 13

Cerimônia em homenagem aos irmãos Francisco e Jacinta Marto será celebrada por Francisco; já para 30 mártires brasileiros ocorre em 15 de outubro

José Maria Mayrink, O Estado de S. Paulo

20 Abril 2017 | 06h31
Atualizado 20 Abril 2017 | 18h52

Os pastorinhos Francisco e Jacinta, dois dos três videntes de Nossa Senhora em Portugal em 1917, serão declarados santos pelo papa Francisco no Santuário de Fátima, dia 13 de maio, na celebração docentenário das aparições. A data e o local das aparições foram anunciadas nesta quinta-feira, 20, no Vaticano, após consistório (reunião de cardeais) ordinário público para aprovação de novos santos e beatos. 

Francisco e Jacinta são as primeiras crianças não-mártires a serem canonizadas. O processo de Irmã Lúcia, a terceira vidente, prima dos dois pastorinhos, que eram irmãos, está em andamento em Roma para beatificação. 

No dia 23 de março, Francisco aprovou a veracidade do milagre necessário para a canonização de Francisco e Jacinta - a cura de um menino brasileiro, de seis anos. Sua identidade não foi revelada, porque a Congregação para as Causas dos Santos não permite a revelação do nome dos "miraculados" ou beneficiários de cura ou de graça extraordinária atribuídos aos candidatos a santos. "Só a família pode revelar", disse nesta quinta por telefone Irmã Ângela Coelho, postuladora da causa de canonização dos pastorinhos.

O Vaticano só revelou que o menino brasileiro estava brincando com a irmãzinha na casa da avó quando caiu de uma janela, de cerca de sete metros altura. Sofreu traumatismo cranioencefálico com perda de material no cérebro e foi evado em coma para o hospital e operado. Caso sobrevivesse,  viveria em estado vegetativo ou com deficiências cognitivas.

Três dias depois, teve alta sem nenhum dano neurológico. Em 2 de fevereiro de 2007, uma equipe médica considerou o caso como "cura inexplicável do ponto de vista científico". O pai da criança havia invocado Nossa Senhora de Fátima e os dois pastorinhos beatos na hora da cirurgia.

A canonização dos 30 brasileiros mártires que foram trucidados em Cunhaú e Uruaçu, no Rio Grande do Norte, em 1645, durante a invasão holandesa, será celebrada no dia 15 de outubro na Basílica de São Pedro, em Roma. Serão declarados santos os padres André de Soveral e Ambrósio Ferro, e os leigos Mateus Moreira e seus 27 companheiros, assassinados com crueldade por soldados holandeses e índios tapuias, por se recusarem a negar a fé católica para aderir ao calvinismo. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.