Para Dirceu, direção não pode impedir disputa interna

O ex-ministro da Casa Civil e ex-presidente do PT José Dirceu entrou publicamente no debate sobre prévias no partido. Em seu blog, ele afirmou que o dispositivo "é um direito estatutário" e "independe da vontade das direções partidárias". "(As prévias) podem deixar de acontecer por acordo político, ou por desistência do concorrente. Mas não podem ser impedidas", escreveu. Mas convencer militantes e pré-candidatos "de que não vale a pena fazer uma prévia", na avaliação de Dirceu, é "difícil".

Iuri Pitta, O Estado de S.Paulo

28 Julho 2011 | 00h00

Para o ex-ministro, o debate sobre prévias em São Paulo deveria ser precedido de uma "ampla" discussão. Dirceu avalia que "há tempo" para isso - o PT paulistano quer definir seu candidato à Prefeitura até dezembro. "Seria de bom tom ouvir o partido, ir aos diretórios zonais, debater com os movimentos, levar os pré-candidatos às bases petistas e à sociedade, ouvi-la, conhecer seu diagnóstico sobre a cidade, o momento político e a atual crise econômica mundial."

O presidente municipal do PT, vereador Antonio Donato, disse que o diretório vai começar esse processo em agosto. "As caravanas vão passar por três diretórios zonais por fim de semana. Os pré-candidatos tendem a ir à maioria desses encontros."

Com isso, o PT paulistano terá 12 semanas para buscar um consenso e evitar uma votação interna. "Nossa meta ainda é definir o candidato até dezembro, de preferência sem prévias", disse Donato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.