Paraná registra 3ª morte por chuvas e Dilma oferece ajuda ao Estado

Presidente conversou com governador, que pediu apoio também ao Exército; vítima era de Honório Serpa

Evandro Fadel e Priscila Trindade, Central de Notícias

15 Março 2011 | 14h21

CURITIBA e SÃO PAULO - A Defesa Civil do Paraná confirmou na manhã desta terça-feira, 15, a terceira morte causada pelas chuvas que atingem a região. A vítima é da cidade de Honório Serpa, no sul do Estado. Também nesta manhã, a presidente Dilma Rousseff telefonou para o governador Beto Richa para se inteirar dos estragos ocasionados pelos temporais. Na primeira conversa entre ambos após a posse, ela garantiu apoio do governo federal.

 

Segundo a Agência de Notícias do Estado, ela já determinou que uma ponte metálica do Exército, que está em Porto União (SC), na divisa com o Paraná, seja levada à BR-277 para substituir temporariamente uma das pontes derrubadas pela enxurrada. Na rodovia, quatro pontes foram destruídas ou ficaram bastante avariadas, o que dificulta o tráfego de veículos e o transporte da safra de grãos até o Porto de Paranaguá.

 

Richa também conversou com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, pedindo a liberação de um helicóptero do Exército que possibilite o transporte de equipamentos necessários para recompor o sistema de tratamento de água em Paranaguá. A aeronave está no interior de São Paulo e tem capacidade de carga de até quatro toneladas.

 

Estragos. O município de Antonina, no litoral, também registrou duas mortes em decorrência de um deslizamento de terra que aconteceu nesta sexta-feira. Os corpos foram localizados no dia seguinte. Na cidade, 300 residências foram danificadas e 750 pessoas tiveram de deixar suas casas.

 

Em Morretes, uma das cidades mais atingidas, o Corpo de Bombeiros ainda busca dois desaparecidos. Na região, mais de 2.500 casa foram danificadas e mais de 9 mil moradores foram obrigados a deixar suas casas.

 

Em todo o Estado, segundo boletim divulgado hoje, 1.477 pessoas estão desabrigadas e 8.843 estão desalojadas. Mais de 24 mil moradores foram afetados pela chuva nos sete municípios atingidos. Até o momento, Guaratuba e Paranaguá decretaram situação de emergência e Morretes decretou estado de calamidade pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.