Pedreiro confessa ter matado estudante no Rio

O pedreiro e vigia Luiz Carlos Oliveira, de 51 anos, foi preso na noite de ontem sob acusação de ter assassinado a estudante Mariana Gonçalves de Souza, de 21 anos, no bairro de Campo Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo informações da Delegacia de Realengo, ele confessou o crime.

FELIPE WERNECK, Agência Estado

09 Março 2011 | 18h25

O corpo de Mariana foi encontrado na tarde de segunda-feira na cozinha do Centro Educacional Gonçalves Dorneles, que pertence à família dela, com marcas de espancamento e um corte profundo na garganta. A estudante teria ido à escola durante o feriado para receber o pagamento atrasado da mensalidade de um aluno.

Oliveira tem uma pequena casa ao lado do colégio, em área pobre na zona oeste do Rio, e prestava serviços à família. Uma testemunha contou ter visto ele entrar no prédio pouco antes de Mariana ter sido encontrada morta. No quintal, foram encontrados o celular dela e uma faca.

O namorado de Mariana afirmou que Oliveira costumava assediar a estudante. À polícia, o suspeito teria dito que já teve um relacionamento com a jovem, o que a família dela nega. "Estava dormindo no colégio quando fui surpreendido pela presença da Mariana. Pedi um beijo, mas ela negou. Perdi a cabeça, quebrei uma garrafa e parti para cima dela", disse Oliveira na noite de ontem, segundo o jornal O Dia, ao se entregar na 33ª DP.

O caso foi transferido para a Delegacia de Homicídios. O advogado do acusado não foi localizado. Cerca de 200 pessoas foram ao enterro da jovem, no cemitério Jardim da Saudade, em Paciência.

Mais conteúdo sobre:
pedreiro assassinato estudante Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.