Miro de Souza/Agência RBS
Miro de Souza/Agência RBS

Pelo menos 1.500 pessoas desalojadas por causa das chuvas no RS

Município mais afetado é Igrejinha; Encantado deve decretar situação de emergência

Carolina Spillari, estadão.com.br

21 Julho 2011 | 11h04

SÃO PAULO - Pelo menos 1.500 pessoas estão fora de suas casas no Rio Grande do Sul, segundo a Defesa Civil. As cidades mais afetadas são as do entorno dos rios Caí e Dos Sinos, na região do Vale do Paranhana.

 

Encantado está prestes a decretar situação de emergência por causa da chuva, disse o secretário de Administração de Encantado Luciano Moresco. Segundo ele, o nível da chuva deverá aumentar ainda mais nesta quinta-feira. "Temos 48 horas a partir do pior momento da chuva para decretar emergência", disse.

 

Cerca de 80% das famílias que corriam risco já foram retiradas de suas casas. Pelo menos 200 famílias já estão fora de perigo em Encantado.

 

A cidade com maior número de pessoas afetadas é Igrejinha, que teve cerca de 300 famílias retiradas de suas casas. Em Parobé 180 pessoas tiveram que deixar suas casas. Novo Hamburgo, na área metropolitana de Porto Alegre, teve 260 pessoas desalojadas. Em Três coroas, Taquara e Rolante também há moradores prejudicados.

 

Na serrana Caxias do Sul, um desmoronamento de um barranco sobre uma residência deixou um bebê de um ano e dois meses soterrado. O nenê foi socorrido imediatamente pelo Corpo de Bombeiros, contou o major Ari Ferreira, da Defesa Civil. Ele foi levado ao Hospital Pompeia em Caxias, onde se recupera.

 

Segundo o major Ari Ferreira, a Defesa Civil monitora os rios Dos Sinos e Caí que irrigam um grande número de municípios.

 

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), nas últimas 24 horas choveu 121 milímetros em Santo Augusto, 115 milímetros em Santa Rosa, 114 milímetros em Bento Gonçalves, 106 milímetros em Soledade, 98 milímetros em Canela e 91 milímetros em Lagoa Vermelha.

 

A chuva deve diminuir com a chegada de uma frente fria, a partir de sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.