PAULO BELOTE/GLOBO
PAULO BELOTE/GLOBO

Perícia constata lesão no braço de Emilly e ex-BBB é indiciado

Segundo delegada, além do laudo positivo para a lesão, a decisão também teve como base os depoimentos do casal e a transcrição das fitas do programa

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

19 Abril 2017 | 17h38
Atualizado 19 Abril 2017 | 21h14

RIO - A Polícia Civil indiciou nesta quarta-feira, 19, na Lei Maria da Penha o ex-participante do Big Brother Brasil (BBB) Marcos Harter, de 37 anos, por lesão corporal contra Emilly Araújo, vencedora da 17ª edição do reality show. A decisão foi tomada pela delegada Viviane da Costa, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio.

Segundo a delegada Márcia Noeli, diretora da especializada, a decisão foi tomada após a conclusão de laudo de exames feitos em Emilly. A perícia constatou uma lesão no braço da garota de 20 anos, com quem Harter teve um relacionamento durante o BBB 17. Ela teria sido machucada durante uma discussão com o médico, transmitida ao vivo pelo programa.

"Além do laudo positivo para a lesão, a decisão também teve como base os depoimentos do casal e a transcrição das fitas do programa", disse a delegada.

Por nota, a especializada afirmou que os elementos analisados "não deixaram dúvidas quanto à autoria e materialidade delitiva, constatando que as lesões da vítima se deram em razão das ações intencionais do autor".

O inquérito foi encaminhado ao Ministério Público Estadual. Os promotores decidirão se confirmarão  as conclusões da Polícia e se denunciarão Harter à Justiça.

Mais cedo, foi ajuizado pelo advogado Roberto Flávio Cavalcanti um habeas corpus para suspender as investigações contra Harter. O profissional alegou que a delegada designada para o caso, Viviane da Costa, não tem atribuição para presidir o inquérito. Afirmou ainda que Emilly não prestou queixa contra o acusado. O ex-BBB, porém, declarou pelo Twitter ter sabido "pela imprensa" da medida e negou ter responsabilidade por ela.

"Isso não foi efetuado por mim, nem pelos advogados que me representam. Já estamos tomando as medidas cabíveis", afirmou, na rede social.

O juiz Marco Couto, da 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá, determinou que a delegada preste esclarecimentos sobre o caso em até 72 horas. A partir disso, o magistrado vai decidir sobre a concessão ou não de liminar.  

Episódio. Harter foi expulso do programa depois de acuar Emilly contra uma parede. Ele a intimidou com o dedo em riste, gritou com ela, a beliscou e apertou o seu pulso. Emilly reagiu, também com o dedo apontado para o oponente. Depois, disse que Harter não teve intenção de feri-la.

As imagens do incidente provocaram reações de fãs do reality, que exigiram uma providência das autoridades. A TV Globo considerou que o participante feriu as regras BBB, segundo as quais são proibidas agressões físicas, e excluiu Harter do BBB.

Em sua defesa, Harter escreveu uma nota em que pediu desculpas. "Como todo casal, passamos por momentos de alegria, ansiedade, euforia e tensão", declarou no texto. "Jamais tive a intenção de machucar física ou emocionalmente uma pessoa pela qual nutri tanto carinho e afeto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.