Perillo e Iris brigam por 3º mandato

Tucano foi governador de Goiás duas vezes e em ambas as eleições venceu o peemedebista, nome mais tradicional da política do Estado

Rubens Santos ESPECIAL PARA O ESTADO GOIÂNIA, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2010 | 00h00

O senador Marconi Perillo (PSDB) e o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) disputam no domingo a oportunidade de governar Goiás pela terceira vez em suas respectivas carreiras. Mais que isso, o resultado das urnas neste segundo turno pode consolidar de vez a liderança do tucano no Estado ou dar novo fôlego ao cacique peemedebista, figura central da política local desde os anos 60.

Aos 47 anos, Perillo é o adversário mais duro que Iris já enfrentou nas urnas goianas. O tucano conquistou seus dois mandatos como governador, entre 1998 e 2006, justamente com vitórias sobre o principal nome do PMDB no Estado. No primeiro turno, Perillo saiu na frente. A diferença não chegou a 300 mil votos, o equivalente a 9,9% dos votos válidos, mas contou com vitória até na cidade natal de Iris, Cristianópolis.

O experiente candidato - além de prefeito de Goiânia, foi vereador, deputado estadual, senador e ministro da Justiça no governo Fernando Henrique Cardoso - sabe que não é fácil superar a vantagem. Mas não vê motivos para jogar a toalha: ao contrário, as pesquisas de intenção de voto no segundo turno mostraram redução na diferença entre Perillo e Iris.

Apesar de perder duas eleições para Perillo e, neste ano, sofrer a simbólica derrota em Cristianópolis, o candidato de 76 anos nunca chegou a ter sua liderança dentro do PMDB abalada e ainda mostra força e habilidade política. Na eleição para deputado federal, conseguiu emplacar sua mulher, Iris de Araújo (PMDB), conhecida como Dona Iris, como candidata mais votada de Goiás. Fora isso, Iris conta com o apoio do atual governador, Alcides Rodrigues (PP), e do terceiro colocado no primeiro turno, Vanderlan Cardoso (PR).

Enfrentar essa frente que, no nível regional, acaba reproduzindo a base de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode valorizar ainda mais uma eventual vitória de Perillo. Na semana passada, o tucano contou com a presença do senador eleito Aécio Neves (PSDB-MG) em eventos de sua campanha. O partido acredita que um bom desempenho de Perillo em Goiás será fundamental para o presidenciável José Serra reverter a vantagem de Dilma Rousseff (PT).

As últimas duas pesquisas de intenção de voto divulgadas em Goiás dão vantagem a Perillo, mas por índices menores que no início da campanha do segundo turno e próximos da margem de erro. Logo após o primeiro turno, os dois candidatos trocaram de marqueteiros, e ambos alegaram questões financeiras, e não problemas relacionado ao conteúdo da campanha. O resultado de domingo mostrará qual mudança funcionou melhor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.