1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Pertences de ator preso injustamente desaparecem na delegacia

Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo

10 Março 2014 | 10h 52

Preso por engano na noite do dia 10 de fevereiro, na zona norte do Rio, ele entregou bens como celulares e tênis na delegacia, mas só recebeu a carteira e R$ 10 ao ser solto

RIO - O ator Vinícius Romão, de 26 anos, prestará depoimento na Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol) na manhã desta segunda-feira, 10, sobre o desaparecimento de seus pertences da 25ª DP, no Engenho Novo, na zona norte do Rio. Romão foi preso injustamente, acusado de ter assaltado a copeira Dalva Maria Santos, de 51, na noite do dia 10 de fevereiro, no Viaduto de Todos os Santos, na zona norte. Ele ficou 16 dias preso.

Ao ser detido, Romão seguiu o procedimento padrão das delegacias e entregou um par de tênis, uma braçadeira, dois celulares e um fone de ouvido na delegacia antes de entrar na cela. Todos os pertences, estimados em cerca de R$ 900, deveriam ter sido entregues pelos policiais ao pai do ator, o militar reformado Jair Romão. No entanto, apenas a carteira do filho, com documentos e R$ 10 foram devolvidos.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, a Coinpol "vai apurar se houve irregularidades na prisão". A Corregedoria vai avaliar a conduta do policial civil da 11ª DP, na Rocinha, zona sul, Waldemiro Antunes de Freiras Junior que efetuou a prisão, e do delegado de plantão da 25ª DP, William Lourenço Bezerra, que registrou o caso como flagrante.