Pesquisa de serristas indica diferença menor

Vantagem de Dilma sobre tucano fica em 5,5% no levantamento do GPP, registrado pelo vice de Serra, Índio da Costa

Alfredo Junqueira / RIO, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2010 | 00h00

Com o objetivo de tentar manter a mobilização dos militantes até o dia da eleição, o deputado Índio da Costa (DEM), candidato a vice na chapa de José Serra (PSDB), registrou oficialmente uma pesquisa do GPP em que mostra que Dilma Rousseff (PT) está liderando com vantagem de apenas 5,5 pontos porcentuais.

É a primeira das seis sondagens que o instituto realizou ao longo da eleição presidencial a ter seus resultados divulgados. Segundo o GPP, a candidata Dilma Rousseff está com 46,4% das intenções de voto. O tucano José Serra aparece com 40,9% da preferência dos eleitores. A margem de erro é de 1,8 ponto porcentual para mais ou para menos.

Os resultados divergem dos últimos números apresentados pelo Datafolha e pelo Ibope, que mostraram que a petista liderava com vantagem entre 11 e 12 pontos porcentuais. A sondagem do GPP foi realizada no fim de semana e ouviu 4.047 eleitores. Custou R$ 160 mil e, segundo o instituto, foi bancada pelo próprio Índio. "Os nossos trekkings já mostram empate técnico. Um ponto para cá, um ponto para lá. Então não dá para ficar convivendo com essas pesquisas do Ibope e do Datafolha", argumentou Índio.

De acordo com o presidente nacional do DEM, deputado federal Rodrigo Maia, o resultado da pesquisa GPP é fundamental para manter a militância empolgada e trabalhando até o dia da eleição. O parlamentar acredita que a mobilização dos últimos dias e o debate entre os presidenciáveis na TV Globo, na noite de sexta-feira, podem virar o jogo a favor de Serra.

"É importante a gente mostrar que a eleição não está resolvida. A nossa militância precisa saber que resultado de pesquisa é importante, mas não define o pleito", afirmou Maia. "A diferença (apontada pelo GPP) é facilmente revertida se a militância ficar empolgada e trabalhando até o último dia."

De acordo com dados do instituto, Serra tem ampla vantagem na Região Sul do País. O tucano aparece com 52,9% das intenções de voto, enquanto Dilma tem apenas 35,1%. Na Região Nordeste, a vantagem da petista é bem inferior à apontada pelos outros institutos de pesquisas. Enquanto o Datafolha mostrava, na semana passada, Dilma com 37 pontos porcentuais de vantagem sobre Serra e o Ibope informava diferença de 31 pontos, o GPP apontou a petista na frente 26,2 pontos.

O estatístico responsável do instituto, Adriano Rodrigues, explicou que a diferença dos resultados com as demais pesquisas pode ser explicada pela diversidade de metodologias e pelas datas das sondagens. Ainda segundo ele, a eleição deverá ser definida pelo desempenho dos candidatos na disputa pelos votos da Região Sudeste nos últimos dias de campanha. O GPP informa que Dilma tem 42,9% e Serra 42,6% na região.

"De acordo com os números, dá para reparar que o Sudeste, onde tem empate, é a maior possibilidade de crescimento do Serra. O jogo está aberto. O Serra precisa avançar no Sudeste para ganhar a eleição. E a Dilma tem de tentar segurar os votos que já tem na região para vencer", explicou Rodrigues.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com o número 37.295/2010. / COLABOROU BRUNO BOGHOSSIAN

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.