1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Pezão diz que é 'impossível' retirar água Paraíba do Sul

Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo

04 Abril 2014 | 12h 02

Após a cerimônia de posse na manhã desta sexta-feira, 4, o atual governador do Rio disse que não medirá esforços para que a atual destinação das águas seja mantida

RIO - O novo governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), que substituiu nesta sexta-feira, 4, no cargo Sérgio Cabral Filho (PMDB), disse que é "impossível" repassar parte da água do Rio Paraíba do Sul para São Paulo, na obra de transposição proposta pelo governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) como alternativa para períodos de seca no sistema Cantareira, como o atual, que ameaça os paulistanos com um possível racionamento.

Após a cerimônia de posse na manhã desta sexta-feira, 4, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Pezão disse que o tema será analisado por técnicos do Rio, de São Paulo e da Agência Nacional de Águas (ANA), por se tratar "de um rio nacional", mas também afirmou que não medirá esforços para que a atual destinação das águas seja mantida.

"Hoje é impossível retirar água do Paraíba do Sul. Não vejo qualquer outra destinação (para as águas) a não ser a que já é feita pelos estados do Rio e de Minas Gerais. Não vou medir esforços para que continue assim", afirmou Pezão. Cabral deixou o governo para disputar um cargo de deputado ou senador nas eleições de 2014.

O Rio Paraíba do Sul nasce em São Paulo e passa pelo Rio e por Minas Gerais. Só no Estado fluminense, abastece 15 milhões de pessoas, além de abastecer as cidades do Vale do Paraíba, em São Paulo.