1. Usuário
Assine o Estadão
assine

PF prende ex-prefeito de Coari acusado de pedofilia

Agência Brasil

14 Setembro 2009 | 18h 09

Adail Pinheiro foi denunciado por favorecimento à prostituição; advogado vai pedir liberdade

O ex-prefeito de Coari (AM) Adail Pinheiro foi preso pela Polícia Federal (PF) na manhã desta segunda-feira, 14, em Manaus, após denúncia do Ministério Público do Amazonas por exploração sexual infanto-juvenil e favorecimento à prostituição. Segundo o superintendente da PF no Amazonas, Sérgio Fontes, a ordem de prisão foi expedida pela juíza Ana Paula Braga, da 2ª Vara de Justiça de Coari.

 

Adail Pinheiro foi preso em casa e se entregou sem reação, segundo Fontes. Ele está detido na sede da PF, mas pode ser transferido para uma cela comum em cadeia pública. Em entrevista à Agência Brasil, o sub-procurador geral de Justiça do Ministério Público do Amazonas, Edílson Queiroz Martins, disse que a prisão de Adail Pinheiro foi cautelar. "Essa prisão aconteceu para garantir a instrução criminal. O acusado estava se furtando a responder aos atos processuais e por isso foi detido para que, eventualmente, não venha a sabotar as provas", destacou Martins.

 

O advogado do ex-prefeito, Alberto Simonetti, confirmou que a prisão aconteceu em caráter preventivo e informou que entrará nas próximas horas com um pedido de habeas corpus. "O ex-prefeito sempre esteve à disposição da Justiça. A prisão é preventiva e vamos analisar o procedimento", afirmou.

 

A cidade de Coari está localizada a 370 quilômetros de Manaus e tem cerca de 67 mil habitantes. Ficou conhecida depois do início das obras para construção do gasoduto Coari-Manaus. É o município que mais recebe royalties do petróleo e gás natural na Amazônia. Adail Pinheiro foi prefeito do município por duas vezes. O segundo mandato encerrou no fim do ano passado.