Polícia Militar
Polícia Militar

PM mata 3 integrantes do CV suspeitos de executar 6 pessoas em GO

Na redes sociais, grupo ostentava armas; outros três suspeitos foram presos e três armas foram apreendidas

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2018 | 17h04

SOROCABA - Três supostos integrantes do Comando Vermelho (CV), facção criada em presídios fluminenses, foram mortos durante uma operação da Polícia Militar, na noite deste domingo, 4, em Goiânia. Outros três suspeitos foram presos. Conforme a PM, a quadrilha é suspeita de executar seis pessoas, nos últimos 30 dias, a mando de detentos da facção que cumprem pena na Ala B do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital. As prisões e mortes foram anunciadas em entrevista coletiva, na manhã desta segunda-feira, 5, pela Secretaria da Segurança Pública de Goiás. 

+++ Foto com rival no Facebook fez Guardiões matar jovem, acusa pai

Os policiais chegaram ao bando depois de abordar um suspeito que dirigia um automóvel de luxo com placas adulteradas. No veículo, foram apreendidas três pistolas - duas Glock 9 milímetros e uma arma de uso da Polícia Civil. Segundo a PM, o homem confessou que iria pegar outro integrante para, juntos, cumprirem mais uma ordem de execução dada pelo CV. 

+++ GDE é facção criminosa nova, atrai adolescentes e tem 'crueldade como marca', diz sociólogo

O suspeito levou a polícia até o local em que estavam os outros integrantes do grupo, em uma casa do setor Buena Vista, região oeste de Goiânia. Houve reação e tiroteio. Os três homens que seriam líderes da facção foram baleados e mortos. Outros dois foram presos, além do condutor do automóvel.

+++ PCC recruta venezuelanos em prisão de Roraima e amplia frente internacional

Ainda conforme a PM, o grupo gostava de se exibir em redes sociais empunhando armas. A polícia vai investigar como os criminosos tiveram acesso à arma da Polícia Civil.

Guerra de facções

O CV foi durante muitos anos a facção dominante nos presídios goianos, mas acabou suplantado nos últimos anos pela facção paulista Primeiro Comando da Capital (PCC), conforme relatório da Segurança Pública.

No dia 1º de janeiro, uma rebelião motivada pela disputa entre as facções deixou nove mortos e 14 feridos no Complexo Prisional de Aparecida. As vítimas morreram carbonizadas - duas delas também foram decapitadas. Houve ainda fuga em massa na unidade.

Mais conteúdo sobre:
CV [Comando Vermelho]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.