Constança Rezende/Estadão
Constança Rezende/Estadão

Polícia descarta participação de dono de veículo na morte de Marielle

Veículo foi encontrado no sábado em Ubá, na Zona da Mata; o nome do proprietário do carro não foi revelado

Leonardo Augusto, especial para O Estado de São Paulo

19 Março 2018 | 11h37

BELO HORIZONTE - O dono do veículo achado em Minas Gerais que teria sido usado no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) foi ouvido e liberado neste domingo, 18, conforme informações da Polícia Civil de Minas Gerais.

O veículo foi encontrado no sábado em Ubá, na Zona da Mata. O nome do proprietário do carro não foi revelado, mas, segundo a Polícia Civil, não há indícios de que ele tenha participação no crime contra a vereadora. Equipe da Polícia Civil do Rio de Janeiro viajou a Ubá.

+++ Batalhão alvo de denúncias de Marielle Franco é o que mais mata

A corporação informou que ainda estão em andamento as investigações sobre a utilização ou não do veículo no assassinato da parlamentar. Ubá fica a cerca de 300 quilômetros do Rio de Janeiro.

A vereadora Marielle e o motorista do veículo, Anderson Gomes, foram mortos a tiros na quarta-feira, 14, na região central do Rio de Janeiro, depois de a parlamentar participar de encontro com representantes de movimentos sociais.

Marielle Franco tinha atuação na área dos direitos humanos, sobretudo no combate ao racismo, à violência de gênero e na defesa de minorias.

+++ PSOL se mobiliza contra notícias falsas sobre Marielle; 11 mil denúncias já foram feitas

No sábado anterior ao seu assassinato, a vereadora, após receber relatos de lideranças da favela de Acari, na zona norte do Rio, fez comentários nas redes sociais levantando suspeitas de envolvimento de policiais na morte de dois jovens.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.