1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Polícia divulga foto de responsável por acionar rojão que matou cinegrafista no Rio

O Estado de S. Paulo

11 Fevereiro 2014 | 10h 37

Suspeito de disparar artefato que matou Santiago Andrade teve a prisão decretada e está sendo procurado pela polícia

Atualizado às 11h 

RIO - Policiais da 17ª Delegacia de Polícia (DP), em São Cristóvão, zona norte, fazem buscas em diversos pontos do Estado para cumprir o mandado de prisão temporária expedido contra Caio Silva de Souza, de 23 anos. De acordo com as investigações, Souza foi quem lançou o rojão, em protesto no dia 6, que matou o cinegrafista da Band, Santiago Andrade, de 49 anos. O mandado de prisão por homicídio doloso qualificado por uso de explosivo foi expedido na noite desta segunda-feira, 10, pela Justiça.

Pela imagem, Souza é um homem pardo, de olhos escuros, cabelo curto, lábios grossos, sobrancelha bem delineada e uma pinta do lado direito, perto da boca. De acordo com as informações fornecidas pelo tatuador Fábio Raposo, de 22, preso na Penitenciária Bandeira Estampa, em Bangu, zona oeste, ele é uma pessoa violenta. "Além do grande porte físico, ele se envolveria constantemente em brigas durante as manifestações", afirmou o delegado da 17ª DP, Maurício Luciano de Almeida.

A polícia chegou até Souza depois que o advogado de Raposo, Jonas Tadeu Nunes, repassou à polícia nome, codinome e CPF do suspeito. Segundo o delegado, as informações do advogado confirmaram os dados obtidos pelo serviço de inteligência da Polícia Civil. Raposo e Souza serão indiciados por homicídio doloso (quando há intenção de matar), agravado pelo uso de explosivos e pelo crime de explosão. Somadas, as penas podem chegar a 35 anos de prisão. O advogado de Raposo tentará enquadrar o cliente no crime de lesão corporal seguida de morte, com pena de 4 a 12 anos de prisão.