Policiais suspeitos de levar chinesa

A polícia identificou três policiais civis suspeitos de terem seqüestrado a ambulante chinesa Ye Goue, de 35 anos, em 17 de julho, momentos após ela sair de um shopping center na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Ela teria sido levada após trocar R$ 220 mil por US$ 130 mil em uma casa de câmbio. Segundo o delegado Raphael Willis, que investiga o desaparecimento da camelô, os três policiais seriam lotados na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense. Vestígios de sangue foram encontrados no carro usado pelos policiais, que não tiveram seus nomes revelados pelo delegado. Exames de DNA ainda serão feitos para saber se o sangue é da chinesa. De acordo com o delegado, os policiais confirmaram que estiveram na Barra da Tijuca naquele dia, mas afirmaram estar cumprindo mandados de prisão. A chinesa foi abordada pelos homens, que se apresentaram como policiais, quando estava dentro de um táxi, deixando o shopping Downtown. O motorista do táxi, em seu depoimento, afirmou ter sido parado por uma viatura policial com quatro pessoas portando distintivos parecidos com os da Polícia Civil. Os homens disseram que faziam uma investigação e detiveram Ye Goue. O taxista ajudou a polícia na confecção de um retrato falado de um dos homens que a abordaram. Ele deve fazer o reconhecimento dos policiais nos próximos dias.

Talita Figueiredo, O Estadao de S.Paulo

07 Agosto 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.