Policial Civil mata mulher e sogro em Minas

Um detetive da Polícia Civil de Minas Gerais é acusado de matar a tiros a mulher e o sogro, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo testemunhas, Wellington Pereira de Oliveira, de 35 anos, atirou em Adriana de Souza, de 39, e no pai dela, Benedito da Silva, de 65, após uma discussão com a mulher. O crime ocorreu no fim da noite de sábado, na casa em que eles moravam, no bairro Veneza. Adriana e o pai morreram antes de receber socorro médico. Oliveira estava foragido. O detetive também baleou Glaydson de Souza Menezes, de 18 anos, filho de Adriana. O rapaz levou três tiros, um deles no pescoço, e foi levado para o Hospital de Pronto-Socorro de Venda Nova, em Belo Horizonte. Ele não corre risco de morrer. Menezes não é filho de Oliveira. Segundo testemunhas ouvidas pela Polícia Militar, o detetive discutiu com a mulher antes de sacar a arma. O pai de Adriana ouviu os tiros e foi baleado quando entrou no quarto onde estava o casal. O motivo da discussão é desconhecido.

Agencia Estado,

19 Fevereiro 2006 | 17h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.