Popularidade em queda e protestos no caminho do prefeito

Cerca de 10 pessoas interromperam o início do discurso do prefeito ontem, sobre as diretrizes de seu novo partido, causando confusão na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde foi realizada a cerimônia.

Gustavo Uribe, O Estado de S.Paulo

22 Março 2011 | 00h00

Os manifestantes carregavam cartazes e gritavam palavras de ordem contra o aumento da tarifa do ônibus na capital paulista, que passou de R$ 2,70 para R$ 3 (reajuste de 11,1%). ''R$ 3 é roubo'' e ''Prefeito sustenta a desigualdade'', diziam os cartazes carregados por estudantes.

Visivelmente constrangido, Kassab pediu em duas oportunidades calma aos que protestavam. Chegou inclusive a mandar beijos para um dos manifestantes.

''Vamos dar um exemplo de democracia'', disse Kassab.

Os cartazes, porém, foram rasgados por seguranças do evento e os manifestantes foram retirados do local do evento.

O aumento das passagens de ônibus, anunciado em dezembro de 2010, é uma das razões que explicariam a queda de popularidade do prefeito nos últimos meses. Pesquisa do instituto Datafolha divulgada ontem revela que caiu oito pontos percentuais, em quatro meses, a aprovação do prefeito (ótimo e bom), passando de 37% para 29%.

O período da queda de aprovação coincide com as articulações políticas intensas do prefeito para deixar o DEM e viabilizar a criação do PSD. Kassab fez costuras com dirigentes do PMDB e do PSB. Chegou-se a cogitar, inicialmente, que o prefeito migraria para o PMDB. Em seguida, ganhou espaço a tese de que criaria uma legenda para se fundir com o PSB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.