PR cria gabinete emergencial para atender cidades afetadas pela chuva

A cidade de Morretes, no litoral do Estado, decretou estado de calamidade pública por causa dos alagamentos e enxurradas neste domingo, 13

Priscila Trindade, Central de Notícias

14 Março 2011 | 09h52

SÃO PAULO - O governador do Paraná Beto Richa anunciou na manhã deste domingo, 13, a criação de um gabinete de emergência para atender as cidades do litoral do Estado que foram atingidas pelas chuvas e deslizamentos de terras dos últimos dias.

 

Foram criadas três coordenadorias para organizar as operações do governo: Coordenação de Atendimento Humanitário, Coordenação de Construções, Obras e Intervenções e Coordenação da Campanha de Solidariedade. A Operação Verão, que estava funcionando nas praias e reúne diversos serviços do Estado como segurança e saúde, foi reprogramada para atender prioritariamente as cidades de Morretes e Antonina.

 

Além disso, o Exército foi colocado em prontidão e poderá auxiliar os municípios paranaenses que sofrem com os estragos provocados pelo excesso de chuvas. A informação foi transmitida pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim.

 

Calamidade. Ontem, a cidade de Morretes, no litoral do Paraná, decretou estado de calamidade pública por causa dos alagamentos e enxurradas, segundo informou a Defesa Civil Estadual. Somente no município, 8 mil pessoas estão desalojadas e 680 estão desabrigadas.

 

Em Antonina, também no litoral, duas pessoas morreram em um deslizamento de terra. Os corpos foram encontrados no sábado, 12. Em Morretes, um morador permanece desaparecido. O Corpo de Bombeiros retomou as buscas hoje cedo na esperança de localizar a vítima.

 

De acordo com a Defesa Civil do Estado, 23.828 moradores foram afetados, sendo que mais de 9 mil tiveram que deixar suas casas nas sete cidades prejudicadas no Paraná.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.