1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Prefeitura do Rio implode prédio na zona norte da cidade

Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo

24 Agosto 2014 | 10h 08

Área nos arredores do Morro da Mangueira, onde havia uma fábrica abandonada, será usada para erguer 120 imóveis do programa federal Minha Casa, Minha Vida

RIO - A Prefeitura do Rio implodiu às 7 horas deste domingo, 24, a antiga fábrica de tecidos Companhia Lanifício Alto da Boavista, nos arredores do Morro da Mangueira, na zona norte da cidade. Em apenas 12 segundos, o imóvel, fechado há 17 anos, veio abaixo para dar lugar a 120 imóveis do programa federal Minha Casa, Minha Vida. No local serão erguidos seis blocos, com quatro apartamentos por andar para abrigar famílias com renda familiar mensal de R$ 1.600.

De acordo com a assessoria de Imprensa da Prefeitura, a participação da Secretaria Municipal de Habitação na construção dos imóveis será de aproximadamente R$ 14 milhões.

Por segurança, duas ruas foram interditadas e 200 famílias do Morro da Mangueira que moram a um raio de 150 metros do espaço da implosão deixam o local temporariamente para a detonação. A concessionária de trens Supervia e a Metrô Rio interromperam o serviço entre 6h e 7h30. Serão usados 100 kg de explosivos na detonação que produzirão aproximadamente 8.000 m³ de entulho (1.600 caçambas de entulho).

A Companhia Lanifício Alto da Boavista foi fundada pelo Comendador Levy Gasparian em 1953 e desativada em 1997. Na década de 1970, quando estava em seu apogeu e já tinha uma filial no interior do Estado (no local onde, em 1992, nasceu a cidade que leva o nome do empresário), empregou cerca de 1.400 pessoas. Nessa época, grande parte da produção de tecidos era voltada para a exportação.