Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Prefeitura do Rio inicia trabalho de limpeza do local do desabamento

Buscas continuam, mas nenhum corpo desaparecido foi encontrado desde 2h20 de sábado

Bruno Boghossian, do Estadão.com.br,

29 Janeiro 2012 | 10h45

RIO - Equipes da prefeitura do Rio iniciaram neste domingo, 29, o trabalho de limpeza do local do desabamento de três prédios na noite de quarta-feira, no centro da cidade. As buscas continuam no local, mas nenhum corpo desaparecido foi encontrado nessa área desde 2h20 de sábado. O prefeito Eduardo Paes e o secretário de Conservação, Carlos Roberto Osório, pretendem liberar o trânsito na região na segunda-feira.

 

"O principal objetivo da prefeitura é devolver a normalidade a essa região da cidade", disse Osório.

Cinco vítimas ainda estão desaparecidas e 17 foram encontradas entre os escombros. Partes de corpos estavam junto com o entulho que foi retirado do local do desabamento e transportado em carretas para um depósito em Duque de Caxias, a cerca de 30 km do centro do Rio.

 

Segundo a prefeitura, parentes das vítimas e donos dos escritórios que funcionavam nos três edifícios terão acesso a documentos e outros objetos após a conclusão dos trabalhos da perícia e do Corpo de Bombeiros. Paes afirmou que pretende contratar uma empresa para fazer a separação desse material.

 

O prefeito chamou de "delinquentes" os funcionários de uma empresa terceirizada que teriam furtado bens de vítimas entre os escombros. Câmeras de segurança foram instaladas no depósito de entulho.

"É inacreditável que esses quatro delinquentes possam estar mexendo em entulho de uma tragédia como essa", disse Paes.

 

O prefeito afirmou que é necessária uma "patrulha permanente" da população, de síndicos e condomínios para evitar que tragédias como essa voltem a acontecer.

 

"Cada dia mais parece que o que aconteceu tem relação direta com a irresponsabilidade de proprietários, indivíduos ou engenheiros", disse.

Mais conteúdo sobre:
Rio desabamento tragédia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.