Prêmio da Mega Sena bloqueado em SC só deve sair em 2008

Segundo o TJ, decisão sobre desbloqueio do prêmio não deve sair nas seis sessões que restam até o fim do ano

Marco Britto, especial para o Estadão,

30 Outubro 2007 | 20h45

O destino dos R$ 25 milhões da Mega Sena disputados entre patrão e empregado em Joaçaba (SC), e congelados pela Justiça desde setembro, só deve ser decidido em 2008, de acordo com o Poder Judiciário do Estado. "É provável que a decisão dos desembargadores do Tribunal de Justiça (TJ) sobre o desbloqueio do prêmio não saia nas seis sessões que restam até o fim do ano para analisar o caso", informou o TJ por meio de sua assessoria de imprensa.   O marceneiro Flávio Biass acusa seu ex-patrão, Altamir da Igreja, de estelionato. Biass afirma que deu R$ 1,50 e os seis números para que seu chefe na época fizesse a aposta por ele, e que informalmente combinaram que dividiriam o prêmio caso o bilhete fosse sorteado. Altamir sacou cerca de R$ 2,5 milhões da Caixa Econômica Federal antes que o prêmio fosse bloqueado e sumiu da cidade.   Enquanto o restante do dinheiro permanece inacessível, o juiz Edemar Gruber, da comarca de Joaçaba, afirmou que o processo que envolve a disputa entre o marceneiro e o ex-patrão segue normalmente, e seis pessoas serão citadas por ele no processo principal.

Mais conteúdo sobre:
Mega Sena

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.