1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Protestos e fé marcam Paixão de Cristo pelo mundo

Adriana Ferraz e agências internacionais - O Estado de S. Paulo

18 Abril 2014 | 21h 19

Procissões e encenações da Via Sacra reúnem milhares de fiéis; no Vaticano, papa Francisco comanda celebração

SÃO PAULO - O calvário de Jesus foi lembrado nesta sexta-feira, 18, com demonstrações de fé em todo o mundo. Procissões e encenações da Via Sacra, nome dado ao caminho trilhado por Cristo até a cruz, tomaram as ruas de Jerusalém e de países como Espanha, Filipinas, Alemanha, Inglaterra e Brasil.

Como manda a tradição, o papa Francisco iniciou a celebração da Paixão, às 15h, na Basílica de São Pedro, no Vaticano. Mais tarde, acompanhou as 14 estações do calvário com milhares de fiéis. Na cerimônia, a cruz, carregada por várias pessoas, percorre o Coliseu, passa na frente do Arco de Trajano e chega ao Palatino, onde o papa a espera.

Nas Filipinas, maior nação católica da Ásia, devotos do norte do país se pregaram em cruzes de madeira para encenar a crucificação de Cristo. Eles acreditam que a dor extrema seja necessária para pagar os pecados, obter cura milagrosa de doenças e agradecer a Deus.

O ritual, que todos os anos atrai milhares de espectadores em uma mistura de fé cristã e crença popular, é criticado por líderes da Igreja Católica e autoridades de saúde pelos riscos impostos aos participantes.

Além de orações, a Sexta-Feira Santa foi marcada por manifestações. Na Venezuela, estudantes protestaram contra o governo de Nicolás Maduro, sucessor de Hugo Chávez. Descalços, encenaram a Via Sacra de Cristo e promoveram a queima de imagens do presidente venezuelano. Manifestações com temática religiosa são a mais recente tática na pior onda de protestos contra o governo que o país enfrenta em uma década e que já deixou 41 mortos

São Paulo. Na capital paulista, moradores de rua percorreram as ruas do centro com o objetivo de chamar a atenção das autoridades para a violência e o déficit habitacional. Conduzida pela Pastoral do Povo da Rua, a iniciativa completou 30 anos ontem, sob a coordenação do padre Júlio Lancellotti. Com paradas na frente da Prefeitura e da Secretaria de Estado da Segurança Pública, o grupo pediu mais assistência e proteção.

À tarde, o arcebispo de São Paulo, d. Odilo Pedro Scherer, celebrou a Paixão na Catedral da Sé. Em seguida, nova procissão tomou as ruas da região central. Hoje, Scherer conduz a Vigília Pascal, a partir das 19 horas

  • Tags: