1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quatro PMs acusados da morte de engenheira em 2008 no Rio vão a júri popular

Marcelo Gomes/RIO - O Estado de S. Paulo

09 Julho 2013 | 10h 51

Patrícia Amieiro Branco de Franco desapareceu na madrugada de 14 de junho de 2008; carro foi encontrado com marcas de tiros dentro do Canal de Marapendi

Os quatro policiais militares acusados de matar a engenheira Patrícia Amieiro Branco de Franco, em julho de 2008, no Rio de Janeiro, vão a júri popular. O juiz do 1º Tribunal do Júri da capital, Fabio Uchôa, pronunciou os réus Marcos Paulo Nogueira Maranhão, Willian Luis do Nascimento, Fabio da Silveira Santana e Marcio Oliveira dos Santos, nessa segunda-feira, 8.

Os dois primeiros réus serão julgados por tentativa de homicídio qualificado e fraude processual, enquanto os dois últimos apenas por fraude processual. O magistrado manteve a liberdade provisória dos policiais. Ainda não foi marcada data para o julgamento. Cabe recurso da sentença de pronúncia.

Em sua decisão, o magistrado lembra que os projéteis encontrados no automóvel vieram de armas com os mesmos calibres que as utilizadas pela PM. 

“Impõe-se ressaltar que os elementos de prova trazidos aos autos forneceram indícios suficientes de que a vítima encontrava-se dirigindo seu veículo no momento dos fatos, seja em razão das imagens que demonstram que a vítima deixou o Morro da Urca naquela madrugada e das declarações de um amigo, de que se despediu da vítima no estacionamento e que a vítima entrou em seu veículo, para retornar à sua residência, seja em razão da multa recebida pelo veículo da vítima naquela madrugada, no Leblon, indo em direção à Barra da Tijuca, seja porque foram arrecadados no veículo ou próximo dele objetos pessoais da vítima, como sandália, celulares, bolsa, relógio, chaveiro, fotografias e pulseiras”, escreveu o juiz Fabio Uchôa.

O caso - A engenheira sumiu na madrugada de 14 de junho de 2008, quando seu carro foi encontrado com marcas de tiros dentro do Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Em junho de 2011, a Justiça declarou a morte presumida de Patrícia, já que seu corpo jamais foi encontrado.

Segundo a denúncia do Ministério Público, a engenheira saiu de uma festa no Morro da Urca, na zona sul, e retornava para casa quando teve seu carro atingido por tiros. Ela acabou perdendo o controle do veículo, que mergulhou no canal. Seu corpo nunca foi encontrado. Um laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), assinado por dez peritos, afirma que o veículo foi atingido por três projéteis.

Os policiais militares Marcos Paulo Nogueira Maranhão, Willian Luis do Nascimento (que estavam de plantão no local onde o carro foi encontrado), Fabio da Silveira Santana e Marcio Oliveira dos Santos (que teriam sido chamados pelos colegas para ajudar a ocultar o crime) são acusados da morte da jovem. Eles foram presos em junho de 2009, mas conseguiram a liberdade 80 dias depois.

Em maio de 2010, os quatro réus foram inocentados no inquérito policial-militar (IPM) aberto pela corregedoria da Polícia Militar, para apurar o envolvimento do grupo em ameaças aos peritos do ICCE que atuaram no caso

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo