1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Queda de mulher em vão causa tumulto na Luz

Daniel Gonzales - O Estadao de S.Paulo

14 Março 2008 | 00h 00

Passageiros da CPTM tiveram de disputar espaço no metrô, já lotado

A queda de uma passageira no vão entre um trem e a plataforma, às 17h50, além de falhas na alimentação elétrica aérea da Linha E da CPTM (Expresso Leste), que interrompeu completamente a circulação de trens entre Luz e Tatuapé, às 18h40, causaram um princípio de tumulto na Estação da Luz, no centro de São Paulo, no início da noite de ontem. Os passageiros ficaram irritados com a lotação das plataformas e as grandes filas para embarcar no metrô, único meio que ficou disponível para quem ia para a zona leste. A passageira que caiu no vão na Estação da Luz ficou levemente ferida na perna, segundo o Corpo de Bombeiros. Mas o socorro só chegou ao local às 18h45, quase uma hora depois da queda, período em que a circulação de trens da Linha A da CPTM (Luz-Francisco Morato) ficou prejudicada. Como havia suspeita de fratura, a mulher teve de ficar imobilizada e os funcionários da estação não puderam retirá-la. No metrô, os passageiros da CPTM tiveram de disputar o espaço com 1 milhão de pessoas que já utilizam a linha no pico da noite, para seguir até as Estações Brás ou Tatuapé e, delas, voltar aos trens. A Linha E só circulou até a Estação Tatuapé. A situação ficou ainda pior porque as Linhas 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi), 2-Verde (Alto do Ipiranga-Vila Madalena) e 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda) operaram com velocidade reduzida durante todo o dia, por causa da chuva. Foi o terceiro dia consecutivo de lentidão no metrô - na terça e na quarta-feira, houve quebra de trens antigos. O fato ainda causou acúmulo de passageiros nas demais estações do sistema. Apenas a Linha 5-Lilás, na zona sul, operou normalmente. O Metrô informou que a redução da velocidade dos trens com a chuva é normal. A água reduz a aderência entre as rodas dos trens e os trilhos, fazendo com que seja necessário um maior espaço de frenagem para as composições. Houve problemas sobretudo na Estação Sé, centro do sistema metroviário, para onde muitos passageiros, desorientados, seguiram. "Vi gente sendo pisoteada, por causa da correria lá na Luz. Orientaram os passageiros para vir até aqui na Sé, mas está impossível de embarcar, por causa da lotação. O jeito é sentar e esperar", disse a bancária Aparecida Conceição Campos Rasino, que saiu do Largo do Limão (zona norte) e tentava ir para casa, em Ferraz de Vasconcelos, região leste. Ela chegou à Estação da Luz às 17 horas e, três horas depois, ainda estava no centro da capital. PREFEITURA O prefeito Gilberto Kassab (DEM) entregou ontem R$ 200 milhões ao governador José Serra (PSDB) - dinheiro que será utilizado na ampliação do metrô. A verba será utilizada na desapropriações de terrenos e imóveis para a expansão da Linha 5 (Lilás). Foi a primeira parcela de um investimento municipal de R$ 1 bilhão na linha. COLABOROU HUMBERTO MAIA JUNIOR

  • Tags: