Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Brasil

Brasil » Quem investiu em flats e estúdios deve faturar durante a Copa

Brasil

Lemos é dono de cinco flats na zona sul de Recife

Brasil

copa 2014

Quem investiu em flats e estúdios deve faturar durante a Copa

Diárias que atualmente oscilam entre R$ 200 e R$ 300 podem pular para R$ 800 nos 40 dias da disputa internacional

0

O Estado de S. Paulo

16 Março 2014 | 01h00

Os imóveis do tipo flat ou estúdio, que podem ser alugados mobiliados por períodos curtos, são os únicos, na avaliação do mercado imobiliário do Recife, que sofreram impacto com a Copa do Mundo e registram maior valorização. Quem investiu neste segmento tem a expectativa de faturar.

O engenheiro civil Guilherme Lemos, 55 anos, começou a comprar flats há cerca de dez anos. Atualmente é dono de cinco, todos no bairro de Boa Viagem, na zona sul. As diárias que oscilam hoje entre R$ 200 e R$ 300, vão pular para R$ 800 no período dos jogos.

Dois dos flats já estão locados para junho - um por 19 dias e o outro por 15 dias - para turistas da Califórnia, nos Estados Unidos. Cada unidade comportará quatro homens. Outros dois imóveis estão em negociação. “A procura é grande”, comemora ele, que anunciou os flats em um site de aluguel na internet.

Em Salvador, a realização de seis jogos da Copa do Mundo (entre eles os aguardados duelos entre Espanha e Holanda e Alemanha e Portugal) criou uma nova “altíssima temporada” turística na cidade. “É como se, em um ano, fossem feitos dois carnavais”, comemora o químico Airton Bastos, de 53 anos. Ele costuma alugar seu apartamento, de dois quartos, no bairro nobre da Graça, para a folia há oito anos. O imóvel tem localização privilegiada para ambos os eventos. Dele, dá para ir a pé aos dois principais circuitos do carnaval da cidade; e, com alguma disposição, para andar até a Arena Fonte Nova.

Bastos já anunciou na internet a intenção de deixar o imóvel vago para a Copa. O preço cobrado por ele será o mesmo praticado no período do carnaval - o que vem sendo o padrão do mercado: R$ 8 mil por semana, quase quatro vezes mais que o aluguel mensal de um apartamento no mesmo prédio.

Um lugar em que a hospedagem vai ficar mais de quatro vezes mais cara é Fortaleza. Lá, os aluguéis dos flats vão aumentar de 350% a 500%, segundo o presidente do sindicato das imobiliárias do Ceará (Secovi-CE), Sérgio Porto. Mas ele não está otimista. “Criou-se uma expectativa muito grande, que a competição será uma vitrine, que vai trazer muita gente e vai movimentar a nossa economia. Só que as obras de mobilidade e de infraestrutura estão todas atrasadas. Falam que mais de 3 mil mexicanos virão para Fortaleza num navio. Vejo da minha janela o terminal de passageiros, que estão fazendo no Porto do Mucuripe, e ele está muito longe de ficar pronto.”

Em Cuiabá, o preço de hospedagem também vai ficar salgado. Pesquisas nos principais hotéis da cidade revelam que os preços subiram de 80% a 300%.

Em Manaus, os corretores e hoteleiros estão se esquivando de falar sobre valor de hospedagem. Dos dez profissionais procurados pela reportagem, só um aceitou falar, pedindo sigilo no nome. “É que a gente está tentando evitar chamar muita atenção.” O corretor disse que os alugueis subiram até 50%. “Uma casa de alvenaria simples com dois quartos, sala, cozinha, dois banheiros, no bairro do Alvorada, que antes podia ser alugada por até R$ 1 mil, hoje o valor já está em R$ 1,5 mil. Mais embaixo, no Dom Pedro, bairro nobre, a casa média estava com aluguel de R$ 2,5 mil até final do ano passado, e agora já chega a R$ 3,5 mil”, disse.

Sul. Levantamento feito pelo Estado em dez hotéis de Porto Alegre mostra que a tarifa pode variar de R$ 190 a R$ 1,1 mil neste mês e de R$ 560 a R$ 1,2 mil na segunda quinzena de junho. Pelas reservas feitas até agora, a maioria dos visitantes do período da Copa tende a ser de brasileiros, de cidades do interior dos Estados do Sul, muitos das quais dispostos a ficar um ou dois dias para ver determinado jogo e voltar.

Em Curitiba, vários anúncios de locações temporárias começaram a surgir. A indefinição da capital paranaense como cidade-sede por causa dos atrasos da Arena da Baixada, porém, é apontada como empecilho de investimentos.

Natal. Os preços de hospedagens nos hotéis de Natal (RN) durante a Copa do Mundo serão de tarifa cheia praticada no verão. O preço médio de um quarto duplo para quem quiser ver um dos quatro jogos no Estádio das Dunas será de R$ 835. Um aumento de 355% em relação à tarifa cobrada na baixa estação, em torno de R$ 235. “Quando saiu, a tabela dos jogos a Fifa cancelou boa parte das reservas, por falta de demanda”, disse o presidente da Abih, Habib Chalita. / FÁTIMA LESSA, CARMEN POMPEU, KLEITON RENZO, JANAINA ARAÚJO e JULIO CESAR LIMA, ESPECIAIS PARA O ESTADO; ANGELA LACERDA, TIAGO DECIMO e ELDER OGLIARI

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.