1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Rebelião em cadeia no Amazonas termina com dois detentos mortos

Marcos Moraes - Especial para O Estado

01 Setembro 2014 | 22h 38

Um deles foi decapitado e teve a cabeça arremessada por cima do muro da penitenciária; briga por TV pode ter causado o motim

MANAUS - Uma rebelião envolvendo mais de 150 detentos na Penitenciária do Município de Parintins, a 369 quilômetros de Manaus, durante a tarde e noite desta segunda-feira, 1º, resultou na decapitação de Adimil de Souza, conhecido como "Cuiu Cuiu", e na morte de Paulo Eliezer, espancado até a morte durante o motim que durou cerca de nove horas. Ambos são detentos da unidade.

O secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado, Louismar Bonates, informou que uma briga interna por conta de uma TV pode ter provocado a manifestação.

No início da tarde, os rebelados atearam fogo em colchões e atiraram, por cima do muro da cadeia, a cabeça de Cuiu Cuiu. Em seguida, uma das mãos do detento também foi arremessada. Os líderes da rebelião também subiram no teto do local para exibir e ameaçar outro preso, que estava amarrado e, segundo a PM local, aparentava estar machucado.

O Corpo de Bombeiros isolou a área, que fica próxima a duas escolas e tentou amenizar o incêndio. Enquanto isso, os policiais cortaram a energia elétrica da cadeia. Neste momento, os líderes da rebelião negociaram a liberação de 10 detentos em troca da energia elétrica e o acordo foi cumprido.

A rebelião foi contida por volta das 20h30. Não foram confirmadas mais mortes. O secretário Bonates informou que um grupo da Tropa de Choque de Manaus foi enviado a Parintins para auxiliar no controle da rebelião.

Segundo informações do diretor da unidade, Bosco Paulain, a cadeia tem capacidade para 36 detentos, mas abrigava 140 detidos.