Rebelião em cadeia no Recife deixa dois mortos e 29 feridos

Tumulto começou à tarde com bombas e disparos; pela manhã, detentos fizeram ato pacífico para reivindicar agilidade da Justiça

Angela Lacerda, O Estado de S. Paulo

19 Janeiro 2015 | 23h45

RECIFE - Uma rebelião no Complexo Prisional do Curado, no Recife, deixou duas pessoas mortas nesta segunda-feira, 19 - o sargento da Polícia Militar Carlos Silveira do Carmo, 44 anos, e o detento Edvaldo Barros da Silva Filho - além de 29 presos feridos.

As mortes foram confirmadas através de nota da Secretaria de Executiva de Ressocialização (Seres) . Os nomes dos feridos, atendidos em unidades de saúde do Recife e dentro do presídio, não foram divulgados.

Os presos realizaram um ato pacífico, pela manhã, reivindicando mais agilidade da Justiça, diante da demora no andamento de processos. Também reclamaram da superlotação do presídio. O tumulto se iniciou à tarde, com barulho de bombas e disparos.

De acordo com a nota oficial, para garantir a ordem, "após radicalização do movimento, com agressões contra os agentes públicos e danos ao patrimônio,  houve reforço no número de agentes penitenciários e o apoio da Polícia Militar".

Mais conteúdo sobre:
Recife Complexo Prisional do Curado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.