Receptor não saberá origem das córneas doadas

Os pacientes que receberam as córneas de Eloá não saberão que os órgãos são da adolescente. Na quarta-feira à tarde, a equipe do Hospital Carlos Chagas, em Guarulhos, na Grande São Paulo, realizou quatro transplantes de córneas, sem especificar quem ficou com os órgãos de Eloá. A equipe médica informou que todas as cirurgias foram bem-sucedidas e os pacientes passam bem. As córneas foram os últimos órgãos da adolescente que foram transplantados. Elas estavam armazenadas na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e, na quarta-feira, deixaram o hospital. A Central Estadual de Transplantes, porém, não informou o destino. O Hospital Carlos Chagas também não forneceu as identidades, a pedido dos próprios pacientes. De acordo com um boletim médico do Hospital Beneficência Portuguesa, Maria Augusta dos Anjos, mulher de 39 anos que recebeu o coração de Eloá, já está sem os cateteres e deve deixar hoje a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). O receptor do pâncreas e do rim esquerdo, o aprendiz de mecânica Emerson Gentil Dardis, de 25 anos, saiu da UTI na quarta-feira e já consegue caminhar pelo quarto.

Renato Machado, O Estadao de S.Paulo

24 Outubro 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.