1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Recife pode ter nova greve de motoristas na quarta-feira

Angela Lacerda - O Estado de S. Paulo

25 Agosto 2014 | 19h 39

Sindicato dos Rodoviários do Grande Recife entrou com recurso no Tribunal Superior do Trabalho contra liminar que barrava dissídio

RECIFE - O Sindicato dos Rodoviários do Grande Recife entrou nesta segunda-feira (25) com recurso no Tribunal Superior do Trabalho (TST) contra a liminar concedida pelo ministro Barros Levenhagen suspendendo o aumento de 10% nos salários de motoristas e cobradores e de 75% no vale alimentação. Depois de uma paralisação pela manhã e uma passeata à tarde, o secretário-geral do sindicato da categoria, Josival Costa, informou que a frota de ônibus estará normalmente nas ruas nesta terça-feira (26).

Representante jurídico do sindicato tentará conversar com Levenhagen, presidente do TST, nesta terça-feira (26), buscando reverter a sua decisão. Se a liminar não for derrubada, nova paralisação - das 4 horas às 8 horas da manhã - será realizada na quarta-feira (27).

A direção do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) reafirmou nesta segunda-feira não ter condição financeira para arcar com o aumento reivindicado pela categoria. "Então abram os cofres para provar isto", reagiu Costa.

Os motoristas, cobradores e fiscais do transporte coletivo do Grande Recife fizeram três dias de greve, no final de julho, encerrada depois de conseguirem o atendimento às reivindicações, na Justiça do Trabalho. O pleno do TRT-PE determinou reajuste de 10% nos salários e de 75% no vale alimentação. A classe patronal oferecia 6% de aumento linear - salários e benefícios.

Recurso do Urbana ao TST - com pedido de liminar acatada por Levenhagen - barrou a determinação do TRT de forma provisória. Até o julgamento do caso, pela Seção de Dissídios Coletivos do TST, ainda sem data definida, fica valendo os 6% propostos pelos empregadores.

De acordo com Josival Costa, se o TST derrubar a liminar, a classe aguardará o julgamento pelo Pleno sem paralisações.

Greve. Na sexta-feira (22) os motoristas e cobradores fizeram uma paralisação de 24 horas em protesto contra a derrubada da decisão do TRT-PE e nesta segunda-feira (25) voltaram a paralisar das 4 às 8 horas da manhã. Os dois milhões de usuários do transporte público na região metropolitana novamente enfrentaram transtornos e dificuldades para se locomoverem. Um coletivo que tentou furar a paralisação teve pneu furado e vidraças quebradas por pedradas no município metropolitano de Jaboatão dos Guararapes.

Prometida para encerrar às oito horas, a situação só começou a se normalizar a partir das 9 horas e sem a frota completa nem a cobertura de todas as linhas. No início da tarde ainda havia deficiência na cobertura.