Repórter do 'Estado' é solto na Líbia

Andrei Netto está bem de saúde, abrigado na casa do embaixador brasileiro, e deve deixar a Líbia amanhã

O Estado de S.Paulo,

10 Março 2011 | 14h57

SÃO PAULO - O repórter Andrei Netto, enviado especial do Estado à Líbia, foi libertado nesta quinta-feira, 10. Ele está abrigado na casa do embaixador brasileiro em Trípoli, George Ney Fernandes. Ele esteve preso por oito dias na cidade de Sabrata, a 60 km da capital, após ter sido capturado por tropas leais ao ditador Muamar Kadafi. Netto está bem de saúde e deve deixar a Líbia na sexta.

 

No período em que esteve preso, o jornalista ficou sem qualquer contato com o exterior. No domingo, a prisão em que ele estava foi alvo de ataques.

 

O Estado havia perdido todo contato direto com Netto. Até domingo, o jornal recebia informações indiretas de que seu repórter estava bem, escondido na região de Zawiya - cenário de violentos confrontos entre Kadafi e os insurgentes, a 30 quilômetros de Trípoli. A comunicação direta com a redação - por meio de telefonemas e e-mails - havia sido propositadamente cortada por segurança, afirmavam fontes líbias.

 

Desde a última semana, O Estado tem acionado  diversas entidades internacionais, como  o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICR), a ONU e a ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF), além do governo brasileiro, a Embaixada da Líbia no Brasil,e vários veículos de comunicação nacionais e internacionais no sentido de garantir a integridade física e segurança do repórter.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.