Representantes das vítimas da TAM se reúnem com a Anac

Eles discutem o recente reajuste do seguro obrigatório usado para indenizar vítimas de acidentes aéreos

Agência Brasil,

15 Agosto 2008 | 15h49

Representantes das vítimas do vôo JJ 3054 da TAM estão reunidos com o diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, para discutir o reajuste do Seguro de Responsabilidade do Transportador, obrigatório para indenizar vítimas de acidentes aéreos. Segundo o presidente da Associação das Famílias das Vítimas do Vôo 3053, Dário Scott, o valor correto do seguro seria de R$ 140 mil.   Veja também: Anac reajusta indenizações de companhias aéreas por acidentes Ministros do TCU advertem País para risco de nova crise aérea Cobertura completa do acidente com o vôo 3054  Cronologia da crise aérea no Brasil    Na última segunda-feira, por recomendação do Ministério Público de São Paulo, a Anac reajustou o valor das indenizações para R$ 49.950. O valor do seguro estava congelado desde 1986 e era de R$ 14 mil.   Os parentes das vítimas querem que a atualização do seguro leve em consideração todas as correções do período. Para chegar ao valor de R$ 40 mil a Anac levou em conta a conversão da moeda para o Real e a inflação.   No dia 17 de julho de 2007, o Airbus 320 da TAM se chocou contra um terminal de cargas no Aeroporto Internacional de Congonhas, em São Paulo. O vôo 3054 havia decolado do Aeroporto Internacional de Porto Alegre às 17h16, com destino a Congonhas, sem escalas, com 176 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulantes. O acidente deixou 199 mortos.

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054 TAM Anac

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.