Respostas do sr. secretário...

Carta 19.863 Recorro uma vez mais à coluna para falar da falta de verde na cidade. Entendo que a Prefeitura tem obrigação de repor as árvores que são cortadas mas, aparentemente, não é isso que ocorre. Nas ruas de Pinheiros, várias árvores foram cortadas, sem reposição. Contatei a Prefeitura no ano passado pedindo plantio de uma árvore e posterior replantio (a 1.ª muda não pegou) e só fui atendida ao escrever para a coluna. Ends. onde não houve reposição: Joaquim Antunes, 819 (canteiro diante do prédio), Arthur Azevedo 967 (no canteiro há uma árvore seca); idem, 1083 (em dois canteiros as árvores estão secas); idem, 1122 (no lugar da árvore puseram um vaso), Virgílio de Carvalho Pinto 787; e Rua dos Pinheiros 384. Há canteiros em todos os locais, mas, em vez de novas mudas, vêem-se só restos das árvores cortadas. MARIA TEREZA CASTILLO Pinheiros A Prefeitura responde: "Quando se ?corta? uma árvore, é complicado plantar outra no mesmo local, pois o sistema radicular e o colo da planta ainda estão sob a terra. E nem sempre as condições possibilitam plantar novas mudas ao lado da que foi cortada. Todas as subs plantam árvores por conta própria, mas o trabalho com a Secr. do Verde e Meio Ambiente tem dado mais resultado. Mudas podem ser pedidas diretamente à secretaria, que tem um plano e um manual técnico de arborização, dizendo o que é preciso para o plantio. Em junho, a Sub Pinheiros plantou 155 árvores em todos os endereços mencionados, exceto na Arthur Azevedo, onde há restos de raiz que precisam ser extraídos." ANDREA MATARAZZO Carta 19.864 ... a cartas de leitores Em 29/7, o secretário Andrea Matarazzo nos escreveu agradecendo o serviço que a coluna ?presta à cidade e aos paulistanos? e respondendo às cartas publicadas sem resposta nos dias 25 e 26/7. Sr. Danilo Stefano Pasanisi: a Sub Lapa faz limpeza rotineira nos baixos do Viaduto Mofarrej, serviço que agora esá sendo reforçado por conta da carta do leitor. No local configura-se, na verdade, uma questão social importante, que exige ações das equipes de assistência social - que lá comparecem diariamente e, sempre que possivel, encaminham os moradores de rua aos albergues municipais. A área de acesso ao viaduto foi fechada e, em breve, abrigará um importante projeto social. Sr. Ernandes Silveira: segundo a Sub Lapa, a praça é limpa todos os dias e está em bom estado de conservação. Sobre moradores de rua, é feito o mesmo trabalho de assistência do Viaduto Mofarrej. Às vezes, as pessoas em situação de rua não aceitam ir para um albergue, não podendo ser obrigadas. Sr. André dos Santos Teixeira: sobre ?descaso? na Av. Condessa Elizabeth Rubiano, onde há grande ocupação irregular e despejo diário de lixo na rua. Tudo isso torna a situação uma questão social, e não só de limpeza pública. Além disso, carros e caminhões também utilizam o local para transbordo de entulho e material inservível. A Sub Penha tem feito a sua parte, trabalhando no local rotineiramente por meio de remoção mecanizada (máquinas pesadas e pá carregadeira de caminhões). Também há coleta com máquina e caminhão. Ali existem dois contêineres para a coleta de lixo domiciliar três vezes por semana pela Empresa Loga. Infelizmente, apesar das melhorias já realizadas, não há apoio de parte da população para manter o local limpo. Ref. à remoção de carros abandonados, a PM informou que moradores já os retiraram. O Comando do Policiamento Metropolitano realiza reuniões periódicas com os vários órgãos públicos (PM, Polícia Civil, CET, subprefeitura e entidades comunais, como Conseg, Associação Comunitária Distrital Penha e Amigos do Bairro, para adoção de medidas que contribuam para melhorar a segurança pública no local. Sr. Eraldo Rico Jr.: informo que, mesmo antes da queixa do leitor, a subprefeitura já havia realizado diversas ações semanais na região das universidades. Em julho, pelo menos sete bares vizinhos foram interditados com blocos de concreto. Apreenderam-se também mercadorias irregulares de ambulantes e de trêileres de alimentos. Haverá novas ações a seguir, na volta às aulas. D. Patrícia de Andrade: a Sub Penha esclarece que a autuação segue a lei. Isto é, é feita a partir da denúncia e, constatada irregularidade, aplica-se multa. Ref. ao fato da denúncia ter partido de um fiscal municipal aposentado contra o qual a leitora tem ação na Justiça, a subprefeitura vai averiguar. Pedimos que a leitora envie o endereço da casa, para avaliarmos se a multa foi corretamente aplicada. Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para spreclama.estado@grupoestado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

O Estadao de S.Paulo

13 Agosto 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.