Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Restrições na transferência e alta demanda causaram blecaute, diz ONS

Segundo o operador, frequência elétrica no País caiu para 59 Hz - o normal é 60 Hz; nesta terça-feira, 20, o órgão e os agentes estaduais devem se reunir no Rio para analisar a ocorrência

O Estado de S. Paulo

19 Janeiro 2015 | 18h59

SÃO PAULO - O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) afirmou, em nota, que a queda de energia em Estados do País nesta segunda-feira, 19, foi causada por "restrições na transferência de energia nas Regiões Norte e Nordeste para o Sudeste, aliadas à elevação da demanda no horário de pico".

Segundo o órgão, a redução na frequência elétrica começou a partir das 14h55, "mesmo com folga de geração no Sistema Interligado Nacional (SIN)".

Em sequência, houve a perda de unidades geradoras nas usinas Angra I, Volta Grande, Amador Aguiar II, Sá Carvalho, Guilman Amorim, Canoas II, Viana e Linhares (Sudeste); Cana Brava e São Salvador (Centro-Oeste); Governador Ney Braga (Sul), um total de 2.200 MW. A frequência elétrica no País caiu para 59 Hz - o normal é 60 Hz.

O ONS afirmou que adotou "medidas operativas" com os agentes distribuidores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, para restabelecer a frequência elétrica às condições normais. De acordo com o operador, essa ação impactou menos de 5% da carga do sistema.

As companhias Eletropaulo (de São Paulo), CPFL Energia (do interior de São Paulo), Copel (do Paraná), Light e Ampla (ambas do Rio),Cemig (de Minas Gerais), EDP Energias do Brasil (do Espírito Santo), CEEE, RGE, Elektro e Celesc e AES Sul confirmaram a orientação do ONS para reduzir a oferta de energia.

Às 15h45 a situação foi normalizada, informou o órgão. Nesta terça-feira, 20, o ONS e os agentes devem se reunir no Rio de Janeiro para analisar a ocorrência.

Mais conteúdo sobre:
Apagão Luz Energia ONS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.