Rio Grande do Sul enterra todas as vítimas de acidente na BR-282

Ônibus e carreta bateram em rodovia de Santa Catarina; segundo a polícia, 5 mil pessoas acompanharam velório

Elder Ogliari, O Estado de S.Paulo

06 Março 2011 | 19h16

PORTO ALEGRE - As 26 vítimas da tragédia na BR-282 foram enterradas em cinco municípios do Rio Grande do Sul neste domingo. Elas estavam num ônibus com placas de Horizontina (RS) e num caminhão com placas de Pelotas (RS) que colidiram na madrugada de sábado em Descanso, no oeste de Santa Catarina. Outras 23 pessoas ficaram feridas. Ao final da tarde, 11 ainda estavam internadas em hospitais de São Miguel do Oeste (SC), Xanxerê (SC) e Concórdia (SC).

O velório coletivo de 19 corpos, no salão do Centro Comunitário Tiradentes, em Linha Salto, no interior de Santo Cristo, foi visitado por cerca de 5 mil pessoas, segundo cálculo de soldados da Brigada Militar. A tragédia dizimou parte da comunidade que tem cerca de 80 famílias e 300 pessoas dedicadas sobretudo à agricultura.

O grupo havia saído da localidade por volta da meia-noite de sexta-feira e viajava para um torneio de boliche e confraternização com amigos em Marechal Cândido Rondon, no Paraná. Entre os mortos estão líderes comunitários, casais que deixaram filhos órfãos, jovens e adolescentes. Durante o velório, um jovem dizia ter perdido os pais, três tios e uma tia, enquanto uma mulher lamentava a morte de três irmãos e dois cunhados. A lista das vítimas tinha cinco nomes da família Bocorni e três da família Kraemmer.

O velório começou às 22 horas de sábado e estendeu-se até o início da tarde de domingo. A maior concentração de pessoas ocorreu durante a missa, às 11 horas. O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), acompanhou a cerimônia. "A dor das famílias de Santo Cristo é a dor do Rio Grande", destacou, dirigindo-se a todos os presentes pelo sistema de som do ginásio.

Depois da cerimônia, 18 caixões foram transportados ao cemitério em dois caminhões, enquanto a multidão seguiu caminhando, sob um sol escaldante. O sepultamento ocorreu no início da tarde, nas covas que voluntários haviam aberto durante o sábado. Um dos corpos velados no local foi levado ao cemitério de uma comunidade vizinha, Guia Lopes, no território do município de Santa Rosa.

Outras cinco vítimas do acidente foram enterradas em municípios da região, sendo duas em Santa Rosa, duas em Giruá e uma, o motorista do ônibus, em Horizontina. O casal que estava no caminhão foi enterrado em Pelotas, no final da tarde, e deixou um filho de dez anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.