1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Rio Madeira sobe e pode ultrapassar 19 metros

Itaan Arruda - Especial para O Estado

10 Março 2014 | 18h 49

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, há um fluxo médio de 120 caminhões por dia cruzando o rio na região de divisa do Acre com Rondônia

RIO BRANCO- O Rio Madeira não para de subir. Técnicos da Sala de Situação, montada pelo governo do Acre para acompanhar o comportamento das cheias na região, confirmam que existe a possibilidade de que o rio alcance 19,20 metros.

As intervenções pontuais da equipe do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), deslocada para a região, possibilitam o escoamento lento, mas constante. Cerca de 120 caminhões atravessam o rio diariamente levando produtos para Rio Branco, capital do Acre. A Polícia Rodoviária Federal faz triagem rigorosa e não permite a passagem de veículos com filtros de ar com menos de 1 metro de altura.

Preços. A cheia do Rio Madeira e o isolamento que impõe ao Acre trazem como consequência natural a alta nos preços dos produtos, mesmo os hortifrutigranjeiros. O governo do Estado do Acre se articulou e garante o transporte de alguns produtos pelos aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

Apesar disso, a intervenção do Estado não foi suficiente para segurar as tarifas. O presidente da Associação Comercial e Industrial do Acre (Acisa), Jurilande Aragão, confirma que a situação é grave e pode piorar. "Um dos maiores compradores de hortifrutigranjeiros do Acre comprou neste domingo o quilo de tomate em São Paulo a oito reais", defende Aragão. "E nós estamos vendendo com preço abaixo do que compramos."

O presidente da Acisa admite que, por mais que o governo e as entidades de classe se esforcem, a dinâmica dos preços é difícil de ser controlada. "Não se tem muito controle sobre isso", afirmou. "O cimento, que era vendido a R$ 31 já tenho notícias que está quarenta e nove a saca."

"Que tal pensarmos também em boicote do tipo Boicota Rio Branco?", sugeriu a promotora Especializada de Defesa do Consumidor, Alessandra Marques, em uma rede social. "Na Europa, consumidores o praticam com eficiência! Juntos, somos mais fortes!"

Empresários destacam que a situação dos preços pode se agravar ainda mais após a vazante do Rio Madeira. Eles acreditam que os engenheiros do Dnit devem interditar a estrada novamente após a vazante.

Rio Acre. O nível do Rio Acre também subiu, atingindo na manhã desta segunda-feira,10, 16,20m. Por causa das cheias, mais de 500 famílias estão desabrigadas. A ponte Juscelino Kubitscheck foi liberada na manhã desta segunda-feira, 10, após ter sido interditada por conta da operação da Defesa Civil para retirada de 'balseiros', como são chamados na região os pedaços de árvores e outras vegetações arrastados pelas águas do rio.

Bolívia. O governo boliviano deve aumentar a pressão junto ao Itamaraty solicitando explicações a respeito das obras das hidrelétricas Jirau e Santo Antônio. No Departamento de Beni, Santa Cruz de La Sierra e Cochabamba, região de forte atividade pecuária, a estimativa é que já tenham morrido 500 mil cabeças de gado.