1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Rodovias federais registram 155 mortes no carnaval

Marcelo Portela - O Estado de S.Paulo

06 Março 2014 | 12h 36

Ocorreram, no total, 3.201 acidentes, que deixaram 1.823 pessoas feridas

CONTAGEM - A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou uma redução de 6% no número de mortes nas rodovias durante os seis dias em que foi realizada a Operação Carnaval em relação ao mesmo período de 2013. Neste ano, 155 pessoas morreram nas rodovias, ante as 157 registradas em 2013. A PRF, porém, leva em conta a proporção entre as ocorrências e a frota de veículos em circulação. Assim, a proporção de mortes para cada 1 milhão de veículos caiu de 2,1 em 2013 para 1,88 neste ano (entre a 0 hora da sexta-feira, 28, e as 24 horas de quarta-feira, 5).

A PRF também afirma que houve redução nos acidentes e feridos, apesar de os números absolutos registrarem pequenos aumentos. No total de acidentes, por exemplo, foram 3.201 em 2014 ante 3.149 no ano passado (aumento de 1,65%), mas a PRF considera que ocorreu redução de 9%. Isso porque o número passou de 42,5 acidentes para cada 1 milhão de veículos em 2013 para 38,82.

Já o número relativo de feridos caiu 16%, passando de 26,18 para cada milhão de veículos em 2013 para 22,11 por milhão em 2014. Em números absolutos, foram 1.823 feridos este ano, contra 1.793 ano passado (aumento de 1,67%).

Frota. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a frota brasileira passou de 66.937.578 veículos em 2013 para 82.450.419 este ano. A PRF é responsável pelo policiamento em aproximadamente 70 mil quilômetros de estradas. "A frota cresce, em média, 8% ao ano, assim como o número de condutores e a malha viária sob responsabilidade da Polícia Rodoviária Federal", afirmou o coordenador-geral de Operações da instituição, inspetor Giovanni Di Mambro, explicando o motivo de mudança na forma de análise dos dados. "Nos últimos três anos, estamos a cada ano diminuindo os índices. Desde 1998, quando foi instituído o novo Código de Trânsito Brasileiro, não se tinha diminuição nos índices de mortos e feridos", acrescentou a diretora geral da PRF, inspetora Maria Alice Nascimento Souza.

Durante a Operação Carnaval 2014, o maior número de mortes foi registrado, pela primeira vez, no Paraná, onde 25 pessoas perderam as vidas e 224 ficaram feridas em 354 acidentes. Em seguida está Minas Gerais, com 24 mortes e 338 feridos em 547 acidentes, seguido pela Bahia, onde foram registradas 14 mortes e 87 feridos em 159 acidentes. Segundo Di Mambro, os dois últimos Estados foram escolhidos como principais pontos para reforço do policiamento. "Os dois têm enormes malhas viárias. A Bahia atrai muita gente nesta época e Minas é o principal local de passagem, mesmo fora do carnaval", justificou.

Irresponsabilidade. De acordo com a PRF, a maior causadora de acidentes nas rodovias federais que cortam o País é a irresponsabilidade dos motoristas, que ocupam o topo dos motivos de mortes nas estradas. No balanço divulgado nesta quinta-feira, 6, das 155 mortes registradas durante a Operação Carnaval, 29 ocorreram em acidentes causados por "ultrapassagens indevidas", 22 por "velocidade incompatível" com a via e mais 22 em acidentes ocorridos por "falta de atenção" dos motoristas. "Não trabalhamos só com a fiscalização em si, que é muito importante. A maioria dos acidentes ocorre por imprudência. Por mais que se invista em tecnologia e fiscalização, se não houver investimento em educação no trânsito, não vai adiantar", avaliou Maria Alice Nascimento.

Por causa disso, segundo Giovanni Di Mambro, um dos principais focos da PRF no feriado foi a fiscalização de ingestão alcoólica pelos motoristas. Nos seis dias de operação, foram realizados 69.251 testes do bafômetro, sendo que foram aplicadas 1.650 multas e 406 motoristas terminaram presos por dirigirem bêbados. Apesar do volume, a PRF comemora o resultado, já que o número de prisões representa redução de 33,11% em relação ao registrado em 2013, quando 607 pessoas foram levadas para delegacias por dirigirem embriagadas. "Quero crer romanticamente que as pessoas estão ficando mais conscientes, que está aumentando a conscientização", declarou Di Mambro.

Nos seis dias da Operação Carnaval 2014, a PRF fiscalizou 217.365 veículos e 201.391 pessoas e emitiu 74.663 multas diversas que, segundo o inspetor, "não levam em conta as (multas) dos radares, porque aí o número dispara". Para exemplificar, foram exibidas fotos feitas pelos equipamentos de um Ford Focus flagrado a 200 quilômetros por hora, um Honda Civic a 194 quilômetros por hora e uma carreta "carregada" que trafegava a 141 quilômetros por hora em uma via com limite de 80 quilômetros por hora. Ao todo a polícia apreendeu 1.742 carteiras nacionais de habilitação (CNHs).