São Paulo pega em armas e faz uma revolução por Constituição

A Revolução Constitucionalista de 1932 foi o mais importante acontecimento político durante o governo provisório de Getúlio Vargas. Os paulistas queriam uma Constituição que colocasse fim ao regime discricional de Vargas. No dia 9 de julho, o movimento ganhou as ruas da capital e do interior de São Paulo. A luta ficou restrita ao Estado, que, isolado, assinou a rendição em outubro de 1932. Apesar da vitória militar, o governo provisório acabou convocando uma Assembleia Constituinte no ano seguinte.

, O Estado de S.Paulo

30 Outubro 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.