Saúde e educação são prioridades em programa de governo

Projetos adotados na Prefeitura e no Estado estão na lista; ministério e guarda nacional são ações para segurança

Bruno Tavares, O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2010 | 00h00

Saúde e educação estão no topo da lista de propostas do candidato do PSDB à Presidência, José Serra, em seu site oficial. A relação, disponível na internet desde a semana passada para os eleitores, está divida em 26 tópicos, nos quais estão esmiuçados os projetos que foram bandeiras da campanha tucana, como a ampliação do programa Bolsa-Família para 15 milhões de famílias, aumento do salário mínimo para R$ 600 e criação de 1 milhão de vagas em escolas técnicas profissionalizantes.

Na saúde, área em que Serra é bem avaliado pelo eleitorado, a principal promessa é construir uma rede de 150 policlínicas com 25 especialidades médicas. "Vamos desafogar as filas em toda essa área", afirmou o candidato em um dos debates. Outro projeto do tucano é o Mãe Brasileira - réplica do programa de amparo às gestantes e seus bebês batizado de Mãe Paulistana, instituído por ele quando era prefeito de São Paulo, entre 2005 e 2006.

Serra anuncia desmatamento zero na Amazônia e criação de um Fundo Internacional de Proteção da Amazônia. Em um eventual governo, o tucano pretende implementar uma Política Nacional de Mudanças Climáticas, "com metas compulsórias de redução de emissão de carbono e incentivos à economia de baixo carbono". O tema ganhou maior importância na campanha com a expressiva votação da candidata Marina Silva (PV), militante do Meio Ambiente.

Segurança. O tucano planeja criar o Ministério da Segurança Pública e uma Guarda Nacional - "de comum acordo com a Polícia Federal e com as Forças Armadas". Em um dos debates na TV, o tucano disse que "a Guarda Nacional vai policiar as fronteiras, com armamento, com treinamento e com tecnologia de verdade, não disco voador", disse, ironizando os Veículos Aéreos Não Tripulados adquiridos pela PF no governo Lula.

Para o transporte, o plano de Serra é ambicioso. Construir 400 quilômetros de metrô em 13 cidades e transformar trens metropolitanos em metrô de superfície. Para se ter uma ideia da dificuldade da meta estabelecida, a cidade de São Paulo começou a operar seu metrô em 1974 e hoje, 36 anos depois, conta com uma rede de apenas 65 quilômetros de extensão. Outra proposta é implementar o bilhete único integrado nas cidades que ainda não dispõe do sistema.

As estradas também estão contempladas - reforma da BR-364, no Acre, e da BR-101, nos trechos entre Alagoas e Sergipe e no Rio Grande do Sul, foram citadas nas propagandas de Serra na TV.

Aos aposentados e pensionistas do INSS, Serra planeja conceder reajuste de 10%. Também está prevista a criação de centros de referência para os idosos e de programas de moradia para a terceira idade. Sobre reforma previdenciária, o tucano é vago - frisa apenas que eventuais mudanças vão atingir quem "ainda não entrou no mercado de trabalho".

COMPROMISSOS DO CANDIDATO

Salário mínimo e aposentadoria

Elevar o mínimo para R$ 600 em 2011 e dar aumento de 10% para os aposentados

Educação

Criar o "aluno em tempo integral" e estender o ProUni para o ensino superior de tecnologia

Segurança

Criar ministério e Guarda Nacional para vigiar as fronteiras

Inclusão digital

Atender a 90% dos domicílios do País com internet banda

larga até 2014.

Energia

Reduzir a carga tributária federal no setor. Rever política de compra de energia de Itaipu

Política externa

Defender reforma do Conselho de Segurança da ONU para haver mais membros permanentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.