1. Usuário
Assine o Estadão
assine


'Se a população não ajudar, será o caos', diz Paes sobre mudança no trânsito

16 Fevereiro 2014 | 18h 22

A Avenida Rio Branco, uma das principais vias do Rio de Janeiro, passa a ter mão dupla na maior parte de sua extensão a partir desta segunda-feira; veículos particulares e vans ficam proibidos

RIO - Pela primeira vez na história, a Avenida Rio Branco, uma das principais vias do Rio de Janeiro, foi colocada em mão dupla na maior parte de sua extensão. De seus dois quilômetros, 1,4 quilômetros agora funcionam nos dois sentidos.

Nesta segunda-feira, 17, veículos particulares e vans são proibidos de circular pela via, aberta somente para ônibus e táxis. É o primeiro dia útil para a medida. O prefeito Eduardo Paes (PMDB) admitiu que esse é o "pior momento" das mudanças viárias para revitalização da região portuária. "Se a população não colaborar, vai ser o caos", afirmou.

Inaugurada em 1905 pelo prefeito Pereira Passos, a abertura da então Avenida Central foi um item importante do programa de modernização do Rio, que passaria a seguir padrões urbanísticos e sanitários europeus. As obras foram chefiadas pelo engenheiro Paulo de Frontin. Cerca de 600 casas foram demolidas e quase 4 mil pessoas foram desalojadas, no "bota-abaixo", como ficaram conhecidas as intervenções.

Com a destruição de casas e cortiços, sofisticados prédios que seguiam os padrões arquitetônicos da Belle Époque foram erguidos na avenida. Em 1912, a via foi batizada de Avenida Rio Branco, em homenagem ao diplomata brasileiro Barão do Rio Branco.