Secretaria diz que ensino superior elevou gastos

Afif Domingos, titular do Desenvolvimento Econômico, explica que universidades, com orçamento autônomo, são responsáveis por aumento

, O Estado de S.Paulo

08 Março 2011 | 00h00

Os gastos com passagens e locomoção da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do governo paulista, gerida pelo vice-governador Guilherme Afif Domingos (DEM), sofreram variação significativa pelo fato de terem sido incorporadas à pasta despesas de universidades que, segundo o secretário, "possuem orçamento próprio e autonomia para utilização do mesmo".

O Estado revelou ontem que a pasta de Afif é a que mais teve crescimento com esses tipos de gastos, na comparação entre o primeiro bimestre de 2010 e o primeiro bimestre de 2011. Foram considerados, no levantamento analisado pela reportagem, todas as despesas das universidades com custeio atrelado à pasta - USP, Unicamp, Unesp, Fapesp, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp) e Faculdade de Medicina de Marília (Famema).

De acordo com dados apresentados pela secretaria ontem, os gastos com diárias da administração direta da pasta, do Centro Paula Souza e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) caíram de R$ 200 mil no primeiro bimestre de 2010 para R$ 196 mil neste ano ( variação negativa de 2%). No mesmo período de 2011, as universidades despenderam R$ 1,37 milhão com diárias.

Dados da secretaria mostram que, sob os mesmos parâmetros, houve crescimento de 35,73% no gasto com passagens (considerando a administração direta, o Centro Paula Souza e o IPT). No primeiro bimestre de 2010, a pasta gastou R$ 807 mil; neste ano, R$ 1,096 milhão.

De acordo Afif, na administração direta houve redução nominal tanto no gasto com diárias como com passagens. Se considerada a incorporação dessas despesas pelas universidades, porém, os gastos subiram 245%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.